IBGE estima 135,3 milhões de toneladas no ano

A tendência de queda na produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas para este ano foi mantida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na segunda previsão da safra agrícola de 2009 divulgada ontem pelo órgão

A tendência de queda na produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas para este ano foi mantida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na segunda previsão da safra agrícola de 2009 divulgada ontem pelo órgão. A estimativa de queda, no entanto, é menor do que a apurada em janeiro.
A produção deverá atingir 135,3 milhões de toneladas, o que significa uma redução de 7,3% em relação ao ano passado, quando foram colhidos 145,8 milhões de toneladas. A área plantada deve chegar a 47,4 milhões de hectares, 0,3% maior que a de 2008 (47 2 milhões de hectares).
A primeira previsão da safra agrícola feita pelo IBGE em janeiro tinha mostrado uma queda de 7,6%, em relação do ano passado, em conseqüência das instabilidades climáticas, e um aumento de 0,8% na área plantada.
Ainda segundo o instituto, sete dos 25 produtos pesquisados apresentaram alta na estimativa de produção em relação a 2008: amendoim em casca 2ª safra (16,6%), arroz em casca (3,7), cana-de-açúcar (1,1%), cebola (4,6%), feijão em grão 1ª safra (15,8%), feijão em grão 2ª safra (11%) e mandioca (0,3%).

Levantamento da Conab

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) também divulgou ontem o levantamento da safra de grãos. Depois de registrar cinco quedas seguidas nos últimos levantamentos, a pesquisa da Conab mostra que algumas culturas terão produção melhor. A colheita deve ser de 135,32 milhões de toneladas, 0,47% a mais que o registrado no estudo do mês passado, que estimava 134,6 milhões de toneladas. Mesmo com a recuperação, a expectativa ainda é 6,1% inferior colheita da safra 2008/2009, de 144,1 milhões de toneladas.
Segundo a Conab, o principal responsável pelo crescimento em relação pesquisa anterior é o aumento na produção das culturas de feijão (segunda safra), de 1,41 para 1,55 milhão de toneladas (crescimento de 9,9%), de arroz, de 12,35 para 12,52 milhões de toneladas (crescimento de 1,3%), de soja, de 57,21 para 57,63 milhões de toneladas (aumento de 0,7%), e de milho, de 50,30 para 50,37 milhões de toneladas (alta de 0,1%).
Apesar da queda na produção, a área plantada na safra atual, de 47,68 milhões de hectares, é 0,5% maior que a do último ciclo. De acordo com a estatal, a produtividade menor se deve ao atraso do plantio em algumas regiões e do clima adverso durante o desenvolvimento das culturas. Segundo os agricultores, a escassez de crédito no momento do plantio, devido s conseqüências da crise financeira mundial, fez com que muitos deles usassem menos fertilizantes e outros insumos agrícolas que influenciam a produtividade.
A pesquisa divulgada ontem foi realizada entre os dias 16 e 20 de fevereiro. Foram ouvidos produtores rurais, agrônomos e técnicos de cooperativas, secretarias de agricultura, órgãos de assistência técnica e extensão rural e agentes financeiros dos principais municípios produtores do país. Confirmados esses números, a safra 2008/2009 será a segunda maior da história, perdendo apenas para a anterior.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email