IBGE diz que produção está em alta

Marcus Fabiano Santiago destacou que o acréscimo verificado no pólo de duas rodas foi resultado das vendas efetuadas em julho, já que os tributos pagos em agosto pelas indústrias referem-se à comercialização do mês anterior.
Conforme a pesquisa industrial mensal realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a produção de motos cresceu 16,6% em julho, no paralelo com o mesmo intervalo de 2006.
No que diz respeito à Contribuição Social sobre o Lucro Líquido e ao IRPJ, o especialista observou que o pólo de duas rodas e o setor de informática, eletrônicos e ópticos demonstraram comportamentos divergentes. Enquanto o primeiro apresentou variação negativa em agosto, devido a compensações de créditos obtidos em períodos anteriores, o segundo computou alta de 86,95% no Imposto de Renda e de 41,12% na contribuição social.
Quanto ao IPI, o auditor afirmou que a variação de 46,43% também está relacionada aos pagamentos dos setores de duas rodas e bens de eletroeletrônicos e informática. “O IPI Industrial incide sobre a saída de mercadorias importadas dos estabelecimentos industriais. Quando um produto é importado pronto e vendido no país, há incidência de imposto sobre a diferença resultante entre o preço de compra e o de venda”, disse.
Embora o faturamento dos dois pólos mais fortes do PIM tenha sido preponderante para o aumento na arrecadação federal no Estado, Santiago salientou que em agosto do último ano os recolhimentos do setor de equipamentos de informática, eletrônicos e ópticos ficaram num patamar abaixo do esperado e prejudicaram a base comparativa. “Em especial, a Cofins teve uma arrecadação reduzida em agosto de 2006, devido à retração em seu faturamento por fatores econômicos e de compensações”, mencionou.

Queda na participação

Quanto à participação do Amazonas na Segunda Região Fiscal (todos os Estados do Norte, exceto o Tocantins), o percentual caiu de 64,13% para 63,22%. Já o índice de Manaus na região subiu de 5,98% para 9,81%. Na capital, a Delegacia da Receita arrecadou R$ 349,96 milhões em agosto, registrando assim um incremento nominal de 10,33% sobre os R$ 317,20 milhões recolhidos no mês oito do exercício anterior.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email