Hospital Adriano Jorge comemora 62 anos de assistência em saúde

A Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ) celebra nesta terça-feira (30/06), 62 anos de serviços em saúde. É um dos principais hospitais da rede estadual de saúde, atuando como suporte para os Prontos Socorros 28 de Agosto, João Lúcio e Platão Araújo. Iniciou como Sanatório Adriano Jorge, em 30 de junho de 1953, para atuar na Campanha Nacional Contra a Tuberculose (CNCT), e se transformou em Hospital Geral na gestão formada pelos Governos Estadual e Federal, em 1979.
Desde 29 de agosto de 2003, já como Fundação, passou a ser um Complexo composto pelo Hospital, Ambulatório, Apoio Diagnóstico, Centro de Imagem e Centro de Fisioterapia. Sua capacidade instalada é de 227 leitos ativos, distribuídos em Clínica Cirúrgica, Médica, Ortopédica, Tisiologia e Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). A área construída é de 16.208,48 m2.
Em 2014, foram realizadas 6.237 cirurgias e 8.703 internações. O total de consultas ambulatoriais chegou a 68.301. Em outros procedimentos como fisioterapia, revisão ortopédica, psicologia e serviço social, foram atendidos, no ano passado, 122.750 pacientes. É hospital da Secretaria Estadual de Saúde (Susam), atuando como referência em Ortopedia e Traumatologia, recebendo pacientes de outros Estados, em especial da região Norte. Está credenciado para execução de procedimentos cirúrgicos de alta complexidade como artroplastias, artroscopias, reconstrução óssea, entre outros. “Do total de cirurgias realizadas pela FHAJ, em 2014, 33% foram de cirurgias ortopédicas de média e alta complexidade”, destacou o diretor-presidente Alexandre Bichara. “Quanto às 18 especialidades habilitadas, 41,6% de todos os atendimentos na FHAJ são de ortopedia”.
Além dos atendimentos de clínica cirúrgica, clínica médica, ortopédica e outras, desde 2012, a FHAJ implantou o Programa de Cirurgia Bariátrica, com uma média mensal de 3 cirurgias. “Em 2014, também implantamos uma das maiores conquistas no Estado, que foi o Transplante de Fígado”, destacou o diretor Alexandre Bichara. Foi o primeiro hospital do Amazonas credenciado para a realização deste tipo de transplante. “Em setembro de 2014, a FHAJ realizou o primeiro transplante de Fígado. Atualmente, contabilizamos cinco transplantes e total de 1.027 procedimentos na especialidade, entre consultas e exames diagnósticos”, informou.
Para Alexandre Bichara, a história da FHAJ é de dedicação de todos os diretores que passaram e ainda continuarão trabalhando em prol da saúde. “Para o futuro, estamos trabalhando na reforma e modernização de nosso complexo hospitalar, além de planejar novos programas de pós-graduação e especialidades”, destacou o diretor presidente.

HISTÓRIA
Médicos e administradores competentes e renomados fizeram parte da Diretoria da Instituição no decorrer de sua jornada, são eles: Dr. Kronge Perdigão, Dr. Moura Tapajóz, Dr. Djalma Batista, Dr. José Di Tommaso Donádio, Dr. João Lúcio Machado, Dr. Oswaldo Said (foi diretor por 25 anos), Dr. Afrânio Soares, Dr.Mauro Lippi Filho, Dr. Juarez Klinger Souto, Dr. José Augusto Onety, Sr. Nilson Ferreira Falcão, Sr. Hélio e Dr. Chang Chia Po, Dr. Raymison Monteiro de Souza. Atualmente a Fundação Hospital Adriano Jorge tem como Diretor-Presidente o cirurgião Alexandre Bichara da Cunha.

Quem foi Adriano Augusto de Araújo Jorge
Natural de Alagoas. Uma vez formado em medicina pela Faculdade da Bahia, mudou-se para o Amazonas, onde dedicou sua vida ao exercício da Medicina, do magistério e da imprensa, como jornalista. Foi vereador e figura marcante da sociedade amazonense e do meio intelectual. Atuou como presidente da Academia Amazonense de Letras. Era o “médico dos pobres”, profundamente caridoso. Seu consultório, na Avenida Eduardo Ribeiro, tinha fila diariamente, poucos pagando a consulta. Nunca pode adquirir uma casa para sua residência, vivendo em prédio alugado. Foi casado com a professora Laura Tapajós de Alencar, com um único filho, Dr. Rui Adriano, que foi escritor e jornalista. Já envelhecido e pobre, os amigos e admiradores lhe compraram a casa onde vivia, no bairro Vila Municipal, cujo nome a prefeitura substituiu para o de Adrianópolis, como justa homenagem. Faleceu no dia dois de novembro de 1948.

Breve histórico
1950 – Iniciam as obras de construção do Sanatório Adriano Jorge, pela Firma Mário Novelle, na Cachoeirinha, bairro “muito longe” do Centro, para atender. O encarregado da Firma era Moacir Andrade.
30 de junho de 1953 – Através da Lei nº 1.872, de 27 de maio do mesmo ano, o Sanatório Adriano Jorge começa a funcionar como um Conselho Executivo, criado pela Campanha Nacional Contra a Tuberculose (CNCT), com 432 leitos reservados para o tratamento da doença.
1979 – Sob gestão formada pelos Governos Federal e Estadual, houve a transformação do Hospital Sanatório para Hospital Geral Adriano Jorge.
1993 – O Governo do Amazonas passou a utilizar o Hospital através da Secretaria de Saúde (SESAU) e adequá-lo à consecução de suas finalidades e às exigências de operacionalização do SUS. Incluiu também atividades de Ensino.
29 de agosto de 2003 – Entregue a reforma do novo hospital e transformação em Fundação.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email