Hora do cafezinho cada vez mais valorizada

Hoje (14 de abril) é o Dia Internacional do Café, mas essa bebida tão brasileira é comemorada em diferentes datas, em vários países também seus apreciadores. No Brasil mesmo o Dia Nacional do Café é 24 de maio. Datas à parte, o mais importante é saborear a bebida, tanto em seu preparo natural quanto com as variações que a imaginação permitir.

Lys Costa trabalhava como atendente numa cafeteria de Manaus até o dia em que uma barista foi contratada para realizar um curso no estabelecimento.

“Essa barista veio de São Paulo e seus ensinamentos fizeram eu me apaixonar pela arte de preparar o café não só na forma em que a maioria das pessoas está acostumada a tomá-lo, mas também como resultado de várias criações que podem ser feitas a partir da bebida”, falou Lys.

Barista é o profissional que se especializa a extrair o melhor do café, bem como preparar diferentes tipos de bebidas e drinks, se utilizando de licores, cremes, bebidas alcoólicas, leite, entre outros, tendo como base o café.

“Depois desse curso comecei a procurar outros para me formar barista. Como só os achei em São Paulo, juntei um dinheiro e, em 2017, fui até lá, na Cafeteria Santo Grão onde fiz, durante uma semana, os cursos de barista básico e de latte art, com a barista Keiko Sato”, contou.

No curso de barista, entre vários outros assuntos, é contada a história do café, são apresentados os dois tipos de grãos, Arábica e Robusta, regiões do mundo produtoras de café, cafés especiais e gourmets, torra e empacotamento, armazenamento adequado do café, manutenção e limpeza da máquina de expresso.

“Aprendemos que 60% do gosto do café vêm do grão e da máquina. O restante vem das mãos do barista”, disse.

Baristas experientes

No curso de latte art os alunos aprendem a fazer tipos variados de desenhos e grafismo, drinks com leite vaporizado e café, técnicas de vaporização do leite, tipos de leite e suas diferenças, entre outros.

“Mas o que se destaca nesse curso é exatamente o aprender a fazer aqueles desenhos com leite sobre o café, corações, carinhas, folhas, flores, que somem na primeira golada, mas fazem muito sucesso assim que as pessoas os vêem”, falou.

De volta a Manaus, Lys não parou de se aprimorar participando de outros cursos na cafeteria Como em Casa Café.

“Dois deles eu fiz com o barista carioca Leo Moço, ‘introdução ao mundo dos cafés especiais’ e ‘análises sensoriais’, e dois eu fiz com o barista, também carioca, Emerson Nascimento, ‘drinks com cafés’ e ‘preparos de cafés coados’, mas devemos nos especializar sempre”, acrescentou.

Leo Moço chegou a ganhar o título de Campeão Brasileiro de Barismo, no ano passado, mas perdeu o título após ser acusado de ter utilizado bebida alcoólica na preparação do café, na competição, quando a regra proibia. Emerson Nascimento foi campeão do Coffee in Good Spirits 2019 e se prepara para representar o Brasil no mundial, em junho, se o evento não for adiado. Os dois baristas viajam pelo país promovendo cursos em cafeterias.

A expansão do mercado de cafés especiais no Brasil tem contribuído para o surgimento de novos postos de trabalho. A cada ano, mais pessoas buscam qualificação para conquistar uma vaga no setor. Profissionais como baristas têm ganhado campo com o aumento da produção e do consumo de cafés diferenciados.

Café em domicílio

Em junho Lys Costa conclui sua faculdade de gastronomia e, de cafeteria em cafeteria, onde trabalhou e trabalha, ela vai aprimorando seus conhecimentos enquanto cria novos sabores acrescidos ao café.

“A gente pega uma receita já existente e cria em cima dela, acrescentando diversos sabores. No meu mais recente trabalho eu desenvolvi a ‘caipirinha de café’: cachaça, leite condensado, açúcar e limão. Para finalizar, uma decoração com chantilly. Só não posso dizer a proporção de cada ingrediente porque aí é que está o segredo de a bebida agradar a todos que a consumirem”, brincou.

Lyz se prepara para estrear no Lolita Café, que inaugurará após a quarentena, na Ponta Negra.

“Já estava tudo certo para a cafeteria abrir, mas aí veio essa pandemia e os proprietários tiveram que adiar a inauguração, mas o diferencial lá, posso adiantar, será a utilização do melaço de cana como adoçante”, explicou.

“Tanto tem muita cafeteria abrindo em Manaus, quanto tem gente fazendo cursos para barista porque é um mercado em ascensão”, informou.

Em breve Lys Costa pretende abrir uma empresa que prepare e sirva cafés em domicílio, incluindo doces, salgados, sanduíches, incluindo chás com ervas amazônicas, nas quais ela já está se especializando.

Quem quiser conhecer alguns dos trabalhos da jovem barista pode dar uma olhada no seu Instagram: @lysmarina_costa.    

Fonte: Evaldo Ferreira

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email