Hora de arregaçar as mangas

Os pais, Felipe e Olímpia, sabiam muito bem o que estavam fazendo quando chamaram Aristóteles, o grande pensador da época, para ser o preceptor de Alexandre, o futuro rei da Macedônia. A formação do pré-adolescente transformou-o em um dos grandes líderes da Antiguidade Clássica que, aos 26 anos, já havia conquistado um vasto império e só não chegou mais longe, porque uma estranha febre tirou sua vida aos 33 anos. O exemplo de Alexandre demonstra que desde a Idade Antiga existe uma preocupação clara com a preparação de líderes. A liderança não tem viés genético, como muitos pensam. Ela precisa ser ensinada, trabalhada, treinada no dia-dia. Nesse ponto, a educação é mais importante que a natureza. E os pais de Alexandre, o Grande, estavam certíssimos.
As empresas modernas demandam cada vez mais de jovens com perfis de liderança. Muitas vezes, esses profissionais já entram na organização para assumir, quase que imediatamente, posições de liderança. No entanto, muitos deles não estão capacitados para assumir tal papel, com a eficiência esperada, mesmo que tenham tido ótima formação acadêmica. Liderar não é apenas exercer poder. É preciso saber influenciar e motivar as pessoas, de modo que todos contribuam para o objetivo comum, com melhores resultados para a equipe e para empresa. Para isso, é fundamental comunicar-se, escutar opiniões e identificar-se com a cultura da empresa.
A liderança, atributo cada vez mais valorizado e desenvolvido com experiência, poderia ser mais bem trabalhada nas disciplinas curriculares. No entanto, salvo algumas boas exceções, as universidades não acompanharam a evolução do mercado de trabalho. Vários especialistas atestam a falta de visão das instituições de ensino para estimular o empreendedorismo, para cujo sucesso a liderança é fundamental. É bom lembrar que grande parte da economia do país está baseada nas micro e pequenas empresas, abertas por profissionais que buscam alternativas para a inegável redução das oportunidades de emprego formal. Aliás, uma tendência mundial, já detectada por especialistas respeitadíssimos, mas que, muitas vezes, não significa falta de trabalho e, sim, traduz as transformações por que passam as relações de trabalho no mundo globalizado.
Para aprimorar a formação dos jovens, o CIEE disponibiliza em seu site (www.ciee.org.br) cursos gratuitos de educação à distância que procuram preencher as lacunas da universidade na formação de líderes. No curso Atitude Empreendedora, os alunos recebem noções de empreendedorismo, liderança e da valorização que essas habilidades têm no mercado de trabalho, tanto para quem prefere atuar como funcionário, quanto para aqueles que ousam abrir um negócio próprio.
Num mundo cada vez mais competitivo e exigente, o jovem que agrega mais informações e conhecimentos tem maior chance de se destacar na carreira profissional. A hora é de arregaçar as mangas e investir na formação.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email