Cervantes está de volta, não o Miguel, mas o bar que homenageia um dos grandes nomes da literatura mundial. O Cervantes Bar está localizado num dos espaços mais aprazíveis de Manaus para um happy hour, o Largo de São Sebastião. Inaugurado no dia 5 de fevereiro, pouco mais de um mês depois o bar teve que cerrar seu imenso portão de ferro por conta da pandemia do coronavírus, e reabriu na semana passada, na rua Costa Azevedo, 232.

“Tiramos todas as mesas e cadeiras do interior do estabelecimento e trouxemos aqui para fora, espaçadas, para evitar aglomerações, e reduzimos nossa capacidade de 80 para 40 lugares sentados”, explicou Mel Kenia, multiartista e proprietária do espaço.

Construído em 1911, conforme consta em seu frontão, o casarão onde funciona o Cervantes integra a arquitetura secular local junto aos demais casarões que ocupam as laterais do Largo dando um charme maior ao bar.

“Gosto de dizer que o Cervantes não é somente um bar. Aqui é um espaço para as artes. Nesse pouco tempo que estivemos abertos, realizamos uma exposição da artista plástica Lorenna Souza, e saraus, e estamos abertos para qualquer tipo de linguagem artística. Reabrimos com um DJ fazendo performance ali dá janela para o público que fica aqui em baixo. Já temos agendada uma exposição de gibis e uma degustação de licores”, informou.

Mas nem só de artes vive o Cervantes Bar.

“A ideia é que as pessoas venham aqui bater um papo mas, lógico, saboreando batatas fritas, calabresa acebolada, moela com farofa de carne de sol, bolinhos de bacalhau, caldo verde, carne com fritas, e o nosso carro chefe, linguiça apimentada”, destacou.

“Tudo acompanhado por uma geladíssima cerveja, talvez a mais barata aqui do Largo: R$ 10, a de 600 ml e R$ 8, a long neck. Queremos que os clientes se alimentem de arte e de nosso apetitoso cardápio”, falou.

O Cervantes Bar funciona de segunda-feira a sábado, das 16h às 23h, e sua programação pode ser acompanhada pelo Instagram @cervantessbar, ou solicitada pelo WhatsApp: 9 9165-0569.

Aos moradores de rua

A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania promove, às 9h, uma ação na Praça da Polícia, para sensibilizar a população sobre os direitos dos moradores de rua. A atividade começa com um café da manhã e falas de representantes de espaços religiosos, Secretaria de Estado de Assistência Social, Comunidade Nova Aliança, Centro de Formação Vida Alegre, Desafio Jovem e projeto Mais Amor. O Coral Vozes da Rua se apresentará, e haverá cortes de cabelo e um trailer onde os convidados tomarão banho e receberão kit de higiene e roupas.

Geração de emprego e renda

A partir de hoje, o Sumaúma Park Shopping recebe o Bazar Sentimentos, visando fomentar a geração de emprego e renda, e dar visibilidade aos negócios de pequenos empreendedores de diversos segmentos. Localizado no primeiro piso, o espaço do Bazar Sentimentos foi cedido pelo shopping e, toda a verba gerada na comercialização dos produtos, será revertida aos próprios expositores. A entrada é gratuita e o Bazar funcionará de segunda a sexta-feira das 11h às 21h e domingo das 14h às 21h.

Em busca de olhares

O diretor artístico do Festival Amazonas Jazz e regente titular da Amazonas Band, Rui Carvalho, participa, às 14h, como palestrante convidado da conferência Cultural Connections: Latin America, evento digital para profissionais do jazz, realizado pela Music Works International, representante de grandes jazzistas. Rui compartilhará sua experiência à frente do festival, um dos mais importantes do gênero no Brasil e no mundo, visando atrair mais olhares para a 10ª edição do evento, marcada para 2021.

Homenagem a Lindoso

Em homenagem aos 100 anos (se vivo estivesse) do ex-governador José Bernardino Lindoso, será celebrada, às 19h, uma missa na Igreja Nossa Senhora de Nazaré, a mesma onde ele casou com Amine, em dezembro de 1948. Lindoso iniciou a vida política em 1962, como primeiro suplente de deputado federal. Em 1966, se elegeu deputado federal, e em 1970, senador pelo Amazonas. Deixou o Senado em janeiro de 1979 e assumiu, em fevereiro, o governo amazonense. Faleceu em Brasília, em 25 de janeiro de 1993.

Literatura indígena

Organizado pela Ong Amazônia das Palavras, acontece às 19h, um bate papo ao vivo com o escritor e professor Daniel Munduruku e a advogada e professora Fernanda Kopanakis sobre literatura indígena e infantojuvenil, memórias da Amazônia e muito mais. Daniel Munduruku ministrou a aula espetáculo ‘Catando Piolhos, contando histórias, minhas memórias da Amazônia’, na primeira edição do Amazônia das Palavras. O bate papo poderá ser assistido através do Instagram @amazoniadaspalavras.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email