Guido confirma mudança e prevê contas no azul até 2010

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou na segunda-feira, em entrevista à “TV Bloomberg”, a mudança na contabilidade pública que deverá reduzir a importância do conceito de superávit primário, a economia que o governo de um país faz para pagar os juros de sua dívida.
Ontem, o setor público divulgou o resultado das suas despesas e receitas antes do pagamento de juros da dívida. Esse é o chamado superávit primário. Também é divulgado o resultado nominal, que é o dinheiro que sobra, ou geralmente falta, depois que o governo paga os juros da dívida. Mantega disse que a nova contabilidade não vai acabar com o conceito de superávit primário, mas irá focar mais no resultado nominal.
“Nós queremos dar mais importância para o conceito nominal. Então nós vamos olhar daqui para frente mais para o nominal do que para o primário. Não vai eliminar, evidentemente, nem o primário nem o operacional. São conceitos que ficam”, afirmou. A mudança também é motivada pelo objetivo do governo de acabar com o déficit nominal que se verifica todos os anos nas contas públicas. Em 2008, o setor público chegou a registrar superávits nominais no acumulado do ano até maio, período em que a diferença entre receitas e despesas foi suficiente para pagar os juros da dívida. Desde então, voltou a registrar déficits.
“Nosso objetivo é buscar focar mais no superávit nominal, dar mais importância ao superávit nominal e, em 2010, o meu objetivo é eliminar o déficit nominal e passar para superávit nominal”, afirmou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email