Guaraná de Maués vai ter sessão especial na Assembléia

A ALE (Assembléia Legislativa do Estado) realiza sessão especial, nesta terça-feira (18), às 12h, para a entrega do certificado de propriedade orgânica a 33 produtores de guaraná do município de Maués, a cerca de 260 quilômetros de Manaus. Eles vão receber o selo orgânico da Ecocert Brasil, representante da matriz francesa que atua em mais de 50 países.
A certificação representa um grande passo para o desenvolvimento da produção de guaraná de Maués. Com o selo orgânico, os produtores poderão exportar guaraná e alcançar o tão almejado mercado justo, na Europa e Estados Unidos, onde o produto pode ser vendido por um preço até quatro vezes maior que o praticado no mercado tradicional. 
O evento na ALE contará com a participação do prefeito de Maués, Miguel Paiva, de secretários municipais e do presidente da Câmara dos Vereadores de Maués, Miguel Gonçalves.

Prefeito Miguel Paiva vem participar do evento

Também foram convidados pela ALE vários órgãos ligados às áreas de produção, indústria e comércio do Estado, além de representantes dos governos estadual e municipal.
Os produtores, que integram a Ascampa (Associação Comunitária Agrícola do Rio Urupadi), viajaram de barco até Manaus, acompanhados do prefeito de Maués e sua comitiva, para participarem da solenidade.

Processo dura três anos

Instalada na Comunidade Santa Clara, distante quatro horas de barco da sede municipal, a Ascampa congrega mais de 126 produtores. No processo para a certificação, que já dura quase três anos, eles tiveram o acompanhamento do Sebrae, por meio do projeto Gestão Estratégica Orientada para Resultados, projeto Guaraná e Derivados de Maués (Geor-Maués), sob acompanhamento da Coordenação Municipal de Ocupação e Renda da Prefeitura de Maués e apoio de organizações como Embrapa, Idam, Ambev e da Fucapi (Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica). A Fucapi também está com um processo de certificação com mais 27 produtores em Maués, cujo órgão certificador é o IBD (Instituto Biodinâmico) e com previsão de ser concluída até o final deste ano.
De acordo com o diretor de crédito do Sebrae, Ivaldo Bezerra, outras cinco associações devem ser beneficiadas com a certificação orgânica. “É um processo contínuo que deve alcançar no futuro outros produtores”, garantiu.
O guaraná, que na safra do ano passado foi negociado a R$ 8 por quilo, deverá ter valor agregado ainda maior porque o Sebrae aprovou projeto para implantar, em 2008, agroindústrias nas comunidades beneficiadas. Com isso, os produtores poderão vender o guaraná processado (em pó), hoje comercializado no mercado tradicional a cerca de R$ 25 o quilo, por até quatro vezes mais.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email