Grupo HDI cresce 40% na América Latina

O Grupo HDI, empresa nacional de tecnologia de testes em softwares corporativos, conquistou crescimento de 40% em seu faturamento em 2009

O Grupo HDI, empresa nacional de tecnologia de testes em softwares corporativos, conquistou crescimento de 40% em seu faturamento em 2009. Especialmente dedicado ao segmento financeiro, a companhia verificou certa retração ano passado, pois “a crise fez com que os clientes atrasassem o início de muitos projetos de teste para o final de 2009 ou primeiro semestre de 2010”, informou o presidente da companhia, Marco Bassi.
Mas a situação mudou e novos clientes já operam com os sistemas de testes de software HDI, como a Cielo (ex-Visanet) e Mapfre. Para 2010, com a retomada normal dos negócios, a perspectiva é crescer 150%. Entre os destaques de 2009, está a entrada no grupo de Carlos Eduardo Corrêa da Fonseca e a aber­tura do escritório chileno, a plataforma de ação da companhia para toda a América Latina.
Bassi revelou que muitos projetos estão programados para o primeiro semestre de 2010. A pers­pectiva é retornar aos patamares de crescimento de 2008, acima de 150%. “Esta previsão se dá por conta da abertura de inúmeras contas novas que amadureceram o conceito de alta automação de testes e já revisam ou adequam seus projetos de teste para a utilização das soluções do Grupo HDI”, des­tacou.
O executivo ainda revelou que haverá o aumento das vendas no mercado chileno para que, na sequência, os esforços da compa­nhia sejam focados na operação Europa. “Com a previsão de crescimento em 2010, o escritório chile­no passará a faturar o suficiente para dar retorno de investimento da matriz brasileira e apoiar o investimento na filial Europa e ações pela América Latina”, disse ele.
O parceiro na Colombia, deta­lhou Bassi, está fazendo investimentos para disseminar ainda mais o conceito de alta automação pelo país, inclusive fará seminário em Medellin dedicado ao mercado corporativo. Para o segundo semestre, o foco será a filial Europa, comandada a partir da Espanha, com investimento em seminários e equipe para gerar mais demanda. “Nosso parceiro em Portugal também tem um plano agressivo para ampliar a carteira de clientes que tem projetos com alta automação”, ressaltou Bassi.

Karman e tecnologia

Além de fechar com novos clientes importantes, Bassi destacou em 2009 a entrada como sócio na empresa de Carlos Eduardo Corrêa da Fonseca – conhecido no mercado financeiro como Karman, após deixar o cargo de CIO e diretor executivo do Banco Real/ABN Amro Bank e a diretoria de tecnologia da Febraban.
Em termos de tecnologia, o Grupo HDI vai expandir os investimentos na área de ECM (Electronic Content Management), no primeiro semestre, com a prestação de serviços e distribuição da solução Saperion para completo controle de conteúdo na internet pelo uso de interface entre o usuário e um banco de dados e administrar as seções, páginas e demais itens de um site corporativo.
Já a plataforma Starc, de alta automação, está em constante evolução. Com o recente lançamento da mesa robótica, aumenta-se muito a produtividade de testes em dispositivos. A intenção é aprimorar o conjunto mesa e braço robótico para atender maior varie­dade de dispositivos. “A ideia é aprimorarmos os desenvolvimen­tos de 2009 para ganharmos ainda mais produtividade e flexibilidade”, concluiu Bassi.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email