Governo reforça saúde no interior do Amazonas

Nesta segunda-feira, 22, o governador Wilson Lima reuniu com a direção da Susam (Secretaria de Saúde), para traçar estratégia relacionada ao enfrentamento à Covid-19 no interior do Estado. Na ocasião, Wilson Lima também destacou os resultados da regionalização da saúde no Amazonas. Por conta do avanço da pandemia em direção ao interior do Amazonas, o governador informou que vem reforçando a infraestrutura de apoio à saúde, principalmente nos municípios de referência, entre polos e subpolos. Dos 63.410 casos confirmados de infectados pelo coronavírus no Amazonas até este domingo (21), 25.103 são de Manaus (39,59%) e 38.307 do interior (60,41%).

Segundo Wilson Lima, desde o início da pandemia, o Amazonas quase triplicou o número de Unidades de Cuidados Intermediários (UCIs) no interior, aumentando de 49 para 142 a quantidade de leitos de média complexidade para pacientes com a doença. Além disso, o Estado está prestes a concluir a instalação de respiradores em 100% dos municípios de referência, entre polos e subpolos, para o atendimento aos casos do novo coronavírus.

“Nós passamos para os municípios recursos do FTI (Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas), adiantamos duas parcelas nesse momento de pandemia. Levamos estrutura como a montagem de UCI, que são as unidades intermediárias. Montamos isso nos polos e depois passamos para os subpolos. Isso nos dá uma segurança de atendimento para essas pessoas que vierem a ser acometidas pela Covid-19, caso precisem de um atendimento de média complexidade nas unidades hospitalares”, afirmou.

De acordo com o governador, a ampliação de leitos nos municípios é parte da estratégia para qualificar a assistência no interior e evitar que os pacientes piorem e tenham que ser transferidos para Manaus. “Para a capital, nós estamos trazendo apenas aqueles pacientes que precisam de alta complexidade, pacientes que estão numa situação de agravamento. E essa UCI, que é uma unidade intermediária, é importante para evitar que esse paciente chegue ao estágio de agravamento”, explicou.

Wilson Lima destacou que a parceria com o governo federal, por meio do ministério da Saúde, tem sido fundamental na interiorização do combate ao novo coronavírus. “O governo federal nos ajudou muito nesse momento de pandemia, sobretudo com envio de equipamentos, insumos, inclusive de recursos humanos, para que nós pudéssemos superar aquele momento mais difícil, que foi no final de abril”, afirmou.

Reforço

No início do mês de junho, a Susam concluiu a montagem de leitos de UCI em todos os oito municípios polos do interior, além de Boca do Acre: três em Eirunepé, três em Humaitá, 12 em Itacoatiara, seis em Lábrea, sete em Manacapuru, oito em Parintins, 14 em Tabatinga, seis em Tefé e dois em Boca do Acre. Dos sete subpolos (Borba, Carauari, Coari, Fonte Boa, Guajará, Maués e Santo Antônio do Içá), aproximadamente 75% já contam com UCIs. Com apoio do governo estadual, os municípios também aumentaram em 30% a oferta de Salas Rosas (leitos clínicos exclusivos para pacientes de Covid-19) que saíram de 636 para 832 leitos.

Segundo o secretário executivo adjunto de Atenção Especializada ao Interior, Cássio Espírito Santo, a estratégia segue o plano-diretor de regionalização da Susam, que visa fortalecer a assistência nos municípios de referência para atendimento das demandas regionais.

“É importante dizer que nós não estamos apenas entregando os equipamentos. Nós estamos entregando, instalando e treinando as equipes. Durante o maior pico da pandemia, alguns municípios tinham respirador que estava há dez anos guardado na caixa porque não sabia usar. Então a nossa missão não é somente entregar, é entregar, instalar e treinar a equipe técnica para que ela possa usar o equipamento adequadamente”, frisou o secretário adjunto.

Desarmamento

Levando em consideração a redução do número de internações nas unidades de saúde do Estado e a estabilização da curva epidemiológica dos casos de Covid-19 no Amazonas, a Susam encerrou as atividades das tendas de triagem instaladas em hospitais da capital e determinou, sexta-feira, 19, a retirada das câmaras frigoríficas, também instaladas nas unidades durante o pico da pandemia do novo coronavírus.

No momento mais agudo da pandemia em Manaus, a Susam, instalou tendas nos Hospitais e Prontos-Socorros (HPS) 28 de Agosto, João Lúcio e Platão Araújo para o primeiro atendimento e a triagem dos pacientes, com objetivo de diminuir a disseminação do vírus. Nas tendas, os pacientes eram atendidos por profissionais, que avaliavam as condições de saúde e davam os encaminhamentos de cada caso. 

Também no período, foram instaladas as câmaras frigoríficas nos HPS João Lúcio, 28 de Agosto e Platão Araújo; nos hospitais de referência Delphina Aziz e de Combate à Covid-19; e no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), para o acondicionamento de corpos de pacientes que vieram a óbito naquelas unidades, estruturas agora desmontadas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email