Governo estende braços para Amazônia

Às vésperas do Dia da Saúde comemorado em 5 de agosto, o governo do Estado e a prefeitura de Manaus festejam a passagem do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que assinou uma portaria que garante um aumento de R$ 52,7 milhões no repasse de recurso anual do SUS (Sistema Único de Saúde) destinado a financiar procedimentos de MAC (média e alta complexidade) no Amazonas, e permitindo que o Amazonas se equipare a média nacional do teto per capita de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. A portaria interministerial foi assinada pelo ministro Padilha, na manhã de sábado (3), durante visita de reconhecimento da recém inaugurada maternidade Balbina Mestrinho, zona Sul da cidade.

Resgate de popularidade

O ministro da Saúde desembarcou em Manaus imbuído de simpatia, e trazendo boas notícias, num momento delicado em que a aprovação do governo da presidente Dilma Rousseff caiu de junho para julho, segundo pesquisa Ibope encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), divulgada no dia 25 de julho. O percentual de entrevistados que avaliam o governo como ótimo ou bom caiu de 55% em junho, para 31% em julho. O grupo de pessoas que responderam ruim ou péssimo subiu de 13% para 31%, e os que consideram regular passou de 32% para 37%.

Nova aliança

Discursos afinados, tanto do governador Omar Aziz, quanto do prefeito Arthur Neto ao elogiar as ações do governo Dilma em relação ao desenvolvimento do Amazonas e na defesa do modelo ZFM (Zona Franca de Manaus), diante do mais novo cidadão manauara, Alexandre Padilha. “A presidente Dilma pode parecer durona, às vezes até insensível, mas ela é dotada de muita sensibilidade, eu estive com ela várias vezes e presenciei esse lado sensível às questões populares que afligi o Estado do Amazonas”, revelou Omar Aziz. “A Dilma tem se esforçado para cooperar com as prioridades da cidade de Manaus e dos manauaras, ela acredita numa ação governamental que traga benefícios para a população mantendo uma postura imparcial no trato da questão partidária”, disse Arthur Neto.

Competências
O ministro Padilha aproveitou a oportunidade para ressaltar a importância do Atendimento Básico que é de competência das prefeituras e do Tratamento Especializado que é de competência do Estado. “É necessário definir competências, dos Estados e das prefeituras para que um não sobrecarregue o outro e prejudiquem o atendimento do paciente e da população que é prioritário em qualquer circunstância”, frisou Padilha.
Alexandre Padilha recebeu o título de “Cidadão de Manaus”, concedido pela Câmara dos Vereadores. A outorga foi entregue pelo prefeito Arthur Neto como forma de agradecer o repasse de uma verba de R$ 85 milhões que o governo federal destinou à reforma das UBS (Unidades Básicas de Saúde) da cidade de Manaus. “Agora como filho desta cidade minha responsabilidade aumenta, vocês sempre irão poder contar comigo e com o Ministério que represento para ajudar Manaus”, agradeceu em discurso.
Padilha lembrou que nos anos de 1990 dedicou vários anos da sua carreira de médico a trabalhos no Amazonas, por meio da Funasa (Fundação Nacional de Saúde), e ressaltou que ficou honrado com a homenagem. “Fico muito emocionado com esse gesto. Eu e o prefeito Arthur somos de partidos diferentes, mas sempre colocamos o bem comum da população em primeiro lugar. Eu tenho uma história com a cidade de Manaus, com o Amazonas, e agora o meu compromisso é redobrado”, afirmou o ministro.

Projetos básicos

Arthur Neto ressaltou que Padilha tem dado atenção especial à cidade com a liberação de recursos para promover melhorias na saúde básica. “Com os repasses feitos pelo Ministério da Saúde, poderemos passar de 38% para 50% de cobertura da população até o final deste ano. A meta é chegar a 70% de cobertura e, com essa parceria, tenho certeza de que conseguiremos”, afirmou. Ele explicou que os outros 30% são cobertos pela saúde privada.
A meta da Prefeitura de Manaus é executar a construção de 40 novas UBSs, reformar 45 UBSs e ampliar outras 28 Unidades Básicas. Do total de recursos, R$ 10,3 milhões serão disponibilizados para investimento na Atenção Primária, incluindo o PSE (Programa Saúde na Escola), construção de Unidades Básicas de Saúde Fluvial e de CAPS (Centros de Atenção Psicossocial).

Programa Mais Médico

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, está em viagem pela região Norte para divulgar o programa ‘Mais Médicos’ lançado pelo governo federal no início de julho. Em sua passagem pela capital amazonense, foi homenageado por políticos, recebeu crítica de manifestantes da classe médica.
O programa tem como foco exclusivo a Atenção Básica, de responsabilidade das prefeituras, e seu objetivo é ampliar a presença de médicos nas regiões mais carentes, principalmente nos municípios do interior e periferia das grandes cidades. Segundo dados do Ministério da Saúde, o programa beneficiará 209 municípios da região Norte, sendo 39 no Amazonas.
A prioridade do programa é para os médicos brasileiros aceitem receber R$ 10 mil líquidos, mais R$ 30 mil pelo deslocamento para o interior do país, com dedicação exclusiva, com duração de três anos ininterruptos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email