Governo do Estado renova contrato com Bradesco por mais dois anos

O Estado do Amazonas renovou por dois anos o contrato de serviços bancários com o Bradesco, que desembolsou R$ 200 milhões para continuar gerenciando a folha de pagamentos estadual. O governador Eduardo Braga e o presidente do banco, Marcio Cypriano, assinaram a renovação na sede da empresa, em São Paulo, quinta-feirana presença do presidente do Conselho de Administração, Lázaro Brandão.

A cúpula do banco aproveitou a oportunidade para assistir a uma exposição do chefe do Executivo amazonense sobre o Fundo de Mudanças Climáticas, ocasião em que foi apresentado ao governador o modelo definitivo do cartão Bolsa Floresta, que será distribuído às famílias que participam do programa de governo.

“Apostamos na saúde financeira do Amazonas, um Estado que evoluiu muito nos últimos quatro anos e por isso estamos renovando o contrato”, disse Cypriano, que almoçou com o governador e os membros do conselho administrativo para tratar de outros assuntos, como o próprio fundo. Os diretores do banco, considerado o maior do país, já haviam participado antes da exposição de Braga, interessados em conhecer melhor o projeto.
Segundo o governador, a renovação com o Bradesco é apenas mais um passo do choque de gestão. “Trata-se de um contrato que foi extremamente discutido e tem cláusulas rígidas, porque queremos melhorar os serviços prestados pelo banco ao Estado, como de resto estamos fazendo em todas as outras áreas”, explicou. “Mas nós queremos avançar. Explicamos à diretoria e ao conselho do banco que temos interesse em tê-los como parceiros em projetos essenciais para o Estado, como o Fundo de Mudanças Climáticas. Trata-se da maior instituição financeira do país e para eles seria ótimo ter e grife Amazonas como case de marketing”, acrescentou Eduardo Braga, admitindo, entretanto, que está conversando com vários outros prováveis parceiros. “Quem largar na frente nesta empreitada conosco vai ter enormes vantagens”, enfatizou.

Cypriano apresentou ao governador, durante o almoço, o cartão Bolsa Floresta, ferramenta que será usada pelos habitantes das unidades de conservação para receber o valor destinado a eles pelo Fundo. Com bandeira Visa e administrado pelo banco, o cartão tem a mesma marca lançada em setembro na comunidade “Deus Me Ajude”, em São Sebastião do Uatumã, quando Braga pagou as primeiras 60 bolsas em dinheiro. “Com ele podemos administrar melhor o pagamento”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email