Governo do Estado investe R$ 1,3 milhão na produção de cacau

Em continuidade a uma série de capacitações tecnológicas, o Governo do Amazonas, por meio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), realiza nesta semana o Curso de Nivelamento Inicial do Cultivo do Cacau para técnicos e extensionistas rurais de 11 municípios do estado. A atividade iniciou na terça-feira (24/08) e se encerra na sexta (27/08), com uma visita técnica à Estação Experimental da Comissão Executiva do Plano de Lavoura Cacaueira (Ceplac), localizada no Km 48 da BR-174 (Manaus-Boa Vista).

O objetivo é capacitar o corpo técnico para atuar nas ações voltadas ao Projeto Prioritário do Idam para a cadeia produtiva do cacau, que visa incentivar o aumento da produtividade, a inserção de novas tecnologias, garantir a segurança alimentar e nutricional, assim como a geração de ocupação e renda na zona rural.

O projeto para a cultura do cacau receberá investimento na ordem de R$ 1,3 milhão, direcionado ao fomento de insumos e mudas, implantação de Unidades Demonstrativas (UDs), assistência técnica, e capacitação de técnicos e produtores rurais.

“O cacau já foi a maior pauta de exportação no Amazonas. E agora estamos trabalhando no ordenamento da cadeia produtiva com ações que vão desde a aquisição de sementes vindas do Pará, a utilização de Sistemas Agroflorestais (SAFs) e investimentos em insumos e mudas. Estamos capacitando técnicos em várias áreas, a exemplo da pecuária, da hidroponia e agora o cacau, que está entre as nossas prioridades”, disse o diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso, ao ressaltar que o governador Wilson Lima está dando condições de trabalho ao Idam para apoiar o pequeno produtor.

De acordo com o engenheiro agrônomo e coordenador do Projeto do Cacau, Antônio Neto, a ideia é finalizar as atividades já com uma programação para as próximas ações. A previsão é que o Idam realize um intercâmbio de técnicos para o estado do Pará. A troca de experiências e o acesso a novas tecnologias irão resultar no aumento da produtividade do cacau.

Outra vertente do projeto está na recomposição de áreas de passivo ambiental, onde o cacau será cultivado em espaços já utilizados pela atividade de pecuária.

Participam da capacitação técnicos e extensionistas dos municípios de Coari, Humaitá, Novo Aripuanã, Borba, Carauari, Nova Olinda do Norte, Parintins, Rio Preto da Eva, Manicoré e representantes da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), Prefeituras, Banco da Amazônia e Ceplac.

FOTO/DESTAQUE: Divulgação/Idam

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email