Governo do AM amplia ações de combate à Covid-19 no interior

O governador do Amazonas, Wilson Lima, apresentou, nesta sexta-feira (22/01), a ampliação do Plano de Enfrentamento à Covid-19 para os municípios do interior do Amazonas. Entre as ações que serão reforçadas está a expansão da estrutura oferecida, estabelecendo níveis de resposta e ações de comando a serem desenvolvidas. As medidas garantem celeridade nas ações municipais e regionais para o aumento da oferta de leitos, equipamentos e insumos, diante do cenário epidemiológico associado à Covid-19.

“Nós temos uma preocupação muito grande com o interior do Amazonas, porque eles estão mais distantes dos grandes centros. Todas as vezes que um paciente é agravado, ele vem para a capital de UTI aérea. Então o nosso objetivo é fazer com que o interior tenha toda a estrutura necessária para fazer o atendimento precoce, fazer o atendimento nas unidades intermediárias e evitar que esse paciente possa ser agravado e tenha que ser transferido para Manaus”, ressaltou Wilson Lima.

Além do governador, prefeitos e representantes de Prefeituras, também participaram da reunião no auditório da sede do Governo, zona oeste de Manaus, o secretário de Saúde, Marcellus Campêlo; secretário executivo adjunto de Atenção ao Interior da SES-AM, Cássio Espírito Santo; e o secretário de Fazenda, Alex Del Giglio.

Melhorias estruturais 

O planejamento para o interior segue a proposta do Plano de Contingência Estadual, estabelecendo o Fluxo de Referência Inter Hospitalar – Sala Vermelha, e a Relação dos Hospitais de Referência para Atendimento à Covid-19 no interior. Os municípios de referência são Manacapuru, Itacoatiara, Parintins, Eirunepé, Humaitá, Lábrea, Tabatinga, Tefé e Boca do Acre.

“É um desdobramento do plano com as novas ações, compartilhando com os municípios as responsabilidades e as informações que são necessárias. Para que um plano seja executado a gente precisa da parceria de todos. Os municípios têm a responsabilidade pelo território, então cada um sabe melhor do que necessita e a gente, como Estado, verifica como pode apoiar cada um”, observou Cássio Espírito Santo.

Desde o ano passado, o Governo do Estado ampliou em 576% o quantitativo de Unidades de Cuidados Intermediários no interior. Atualmente são 190 leitos de UCI e 938 leitos clínicos. As unidades de saúde do interior também passaram a contar com 208 ventiladores mecânicos invasivos, o que representa um aumento de 424%, com 34 leitos de suporte ventilatório habilitados.

“Na primeira onda de Covid-19 distribuímos respiradores para todos os municípios, instalamos e treinamos equipes para utilizar esses equipamentos, agora vamos ampliar ainda mais, com outros equipamentos e enviando concentradores, máscaras VNI (Ventilação Não Invasiva), tudo que estiver chegando vamos também entregar para os municípios”, acrescentou o secretário.

O prefeito de Manacapuru, Beto D’Ângelo, destacou a importância do alinhamento entre Governo e Prefeituras. “A ação conjunta funciona muito bem quando dois poderes estão emanados pelo bem comum que é a saúde da população, certamente o efeito é positivo. Saímos daqui com o sentimento de que teremos o apoio necessário para chegarmos também à zona rural”, afirmou.

Frederico Júnior, prefeito de Novo Airão, ressaltou que o apoio tem salvado vidas no município. “Tenho sido muito bem atendido pelo Governo do Estado. Graças a Deus, em nenhum momento, nessa segunda onda e nem na primeira onda, chegou a faltar oxigênio no município, o que já é um grande avanço, essa parceria é muito importante. Estamos seguindo o Decreto do Estado, com o fechamento dos balneários, das nossas praias, e o fechamento da ponte às 19h também está nos ajudando na contingência de combate à Covid-19”, disse Frederico.

Medidas 

Outras ações, que já começaram a ser executadas e seguem sendo reforçadas pelo Estado, incluem a estruturação dos municípios de referência; aquisição e distribuição de equipamentos a todos os municípios; distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), medicamentos e testes rápidos; ampliação da capacidade de remoções aéreas de urgência; contratação de profissionais; monitoramento diário dos casos de Covid-19 e necessidade de insumos; abertura de leitos de retaguarda na capital para pacientes do interior do Estado; remoção de pacientes do interior para outros Estados.

Também está em processo a contratação de recursos humanos para o aumento da capacidade de atendimento, incluindo enfermeiros intensivistas e fisioterapeutas com experiência em ventilação mecânica.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email