Governo dá sinal verde para a abertura do varejo no Amazonas

A posição do governador Wilson Lima de abertura gradual do comércio, a partir do dia 1º de junho, ganhou ressonância positiva entre deputados estaduais de vários partidos políticos, desde que, de forma cautelosa, inclusive dentro de critérios estabelecidos pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que preservem a segurança e saúde de trabalhadores e consumidores. O ensaio à retomada no comércio, principalmente de Manaus, se dá em um momento em que a pandemia Covid-19 arrefece na capital, mas cresce no interior do Estado. 

Domingo (24/05), o Amazonas registrou 1.065 novos casos, totalizando 29.867 casos confirmados do novo coronavírus, segundo a FVS-AM ( Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas. Dos 29.867 casos confirmados , 13.881 são de Manaus (46,48%) e 15.986 do interior do estado (53,52%).  Em dois meses, as vítimas fatais pela Covid-19 chegaram a 1.758 mortes. Entretanto, apesar dos números  assustadores, os dados oficiais apontam que até domingo, a pandemia atingiu apenas a ínfima parcela de 0,74% da população amazonense.

“A retomada do comércio é muito importante, porque estamos vendo no Brasil muitos municípios e estados retornando gradativamente os seus funcionamentos. Mas esse funcionamento, claro, dentro das regras que acredito que vão ser propostas, de funcionamento de horários, dentro da capacidade das lojas, a loja não pode estar funcionando dentro da sua normalidade. Tem que ter o regramento para funcionar, como: todo mundo com máscara, higienização e espaçamento entre as pessoas”, disse o deputado estadual João Luiz (Republicanos).

Segundo o parlamentar, o comércio deverá atuar dentro dos cuidados que a própria OMS orienta. “Eu vejo, dentro das regras, a possibilidade da retomada dos trabalhos do comércio, dos serviços, para que as pessoas não venham a entrar em colapso de fome. Porque nós sabemos que as pessoas precisam ter a sua saúde preservada, claro, é por isso durante todos esses meses houve essa contribuição. Agora os números estão apontando para essa flexibilização, e o governador dando essa direção a partir de 1º de junho, dentro das regras, de clientes dentro das lojas, número de trabalhadores  dentro das loja, toda a higienização, tenho a certeza absoluta que vai retomar os trabalhos e acredito que não vai influenciar ( o avanço da pandemia)”, explicou o deputado.

“E se uma vez houver os dados que mostrem que a pandemia está voltando, prosseguiu o republicano, cabe ao governador intervir e retornar de novo. Vai chegar o momento em que a “vida” vai ter que retornar à sua normalidade. Inclusive dentro desse assunto, eu incluo as igrejas que são muito importantes. Essenciais para acalmar a população, com relação aos problemas emocionais, depressão, problema de autoestima. Muitas pessoas estão com a sua autoestima em baixa. Isso é muito importante dentro de regras de segurança e flexibilizando para que as pessoas que estão fora do grupo de risco venham a ter seu direito de ir e vim preservado”, concluiu  João Luiz.

O deputado estadual socialista, Serafim Corrêa (PSB), seguiu na mesma linha do seu colega republicano, apontando cautela e avaliações criteriosas baseadas na ciência. “A meu ver, qualquer reabertura, terá que ser avaliada pelas áreas da saúde com base na ciência. Bastante cautela é fundamental. Depois, quando for retomar as atividades, em que graduação isso será feito? Isso precisa ser definido dentro de um planejamento estratégico”, ponderou. 

O deputado Adjuto Afonso (PDT) também se mostrou favorável ao pensamento do governador.  “Sou favorável, lento e gradual. Tem estados em situação mais difícil e que estão reabrindo. Não pode liberar tudo. Por exemplo, libera um tipo de segmento com as recomendações já decretadas, como o uso de máscara, disponibilização de álcool em gel à população. Não podemos deixar também essa reabertura para o final da pandemia, até porque não se tem uma previsão. O comércio está cada vez pior. Já tem gente quebrando. Se não houver uma alternativa, certamente vamos ter muito mais prejuízos. Sou favorável, mas dentro desses termos”, aponta o pedetista.

Retomada gradual

A possiblidade de retoma da abertura do comércio foi exporta pelo governador Wilson Lima, neste domingo (24/05), em entrevista a um canal de TV nacional. No momento, Lima informou que governo do Amazonas voltaria a analisar, o planejamento para a retomada gradual das atividades a partir do dia 1º de junho. Ele esclareceu, no entanto, que a suspensão de medidas restritivas dependerá da curva de casos do novo coronavírus, que é monitorada diariamente pelas autoridades de saúde.

 “Desde a semana passada, nós sentimos uma queda significativa no número de casos de coronavírus aqui no estado do Amazonas, e eu me refiro a óbitos. Temos acompanhado a quantidade de enterros que têm acontecido aqui na capital, que é um parâmetro mais seguro. Entre o final de abril e início de maio, houve um dia em que foram 167 enterros. Ontem houve 48 enterros, então, nós tivemos uma diminuição significativa”, observou o governador.

 Wilson Lima destacou que o Estado, em busca do equilíbrio nas ações de enfrentamento ao novo coronavírus, sempre priorizou o diálogo com os diversos segmentos sociais na tomada de decisões e que desta vez não será diferente.

“Em algum momento, a vida precisa voltar à normalidade e isso tem que acontecer de forma gradual porque tem muita gente que perdeu seu emprego, principalmente aquelas pessoas que atuam na informalidade, essas pessoas já estão sem recursos, e aí precisamos encontrar o caminho do consenso. Naturalmente, ouvindo os especialistas, e eu tenho conversado muito com os profissionais da área de saúde, do comércio, da indústria e com os poderes, para que isso possa ser feito de forma muito responsável”, frisou.

 De acordo com o governador, o Estado poderá adiar a retomada das atividades se os dados epidemiológicos indicarem um novo aumento de casos. “Se em algum momento a gente decidir reabrir a partir de junho e a gente começar a ter uma volta ou uma subida desses casos, nós não temos nenhum problema em retroagir e voltar com as medidas restritivas”, reforçou.

Retomada de obras

O governador afirmou, ainda, que o Estado também planeja retomar as obras de infraestrutura a partir de junho. “Semana que vem já vamos começar obras em alguns hospitais e, a partir do dia 1º de junho, vamos retomar as principais obras de infraestrutura do Estado, como a pavimentação da AM-070 e de outras rodovias e sistemas viários que são importantes para o desenvolvimento econômico da nossa região”, disse Wilson Lima.

De acordo com ele, neste caso, também será observada a evolução do coronavírus no estado. “É importante considerar que, apesar de haver uma queda aqui na capital, eu tenho uma subida dos números no interior, e isso nós estamos também acompanhando muito atentamente”, ressaltou.

Fonte: Severo Neto

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email