Governo brasileiro adia votação sobre entrada da Venezuela

O governo decidiu adiar para a próxima semana a votação do ingresso da Venezuela no Mercosul. Os governistas avaliaram que seria arriscado colocar o assunto na pauta de quarta-feira, 04, pois há muita resistência da oposição e a aprovação dependeria da presença efetiva de integrantes da base aliada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Senado.
O protocolo foi aprovado na semana passada pela Comissão de Relações Exteriores por 12 votos a 5, mas precisa passar pelo plenário do Senado.
Os governistas rejeitaram o parecer do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que se posicionou contrariamente à entrada da Venezuela no Mercosul. Tasso Jereissati criticou principalmente a falta de democracia do governo de Hugo Chávez.
O líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), já havia admitido que era preciso negociar a votação em plenário com a oposição. Ele foi autor do voto em separado na comissão, instrumento legislativo usado para derrubar o parecer de Tasso.
Ontem, o vice-líder do governo no Senado, Gim Argello (PTB-DF), afirmou que a votação no plenário deverá ocorrer no dia 11, quarta-feira. “Hoje o quorum já está abaixo, com apenas 51 senadores. Nós esperávamos pelo menos 60”, disse.
O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse à reportagem que irá colocar o assunto em votação apenas depois de ouvir os líderes dos partidos.
Até mesmo os oposicionistas contavam com a votação somente na semana que vem.
“Queremos adiar porque, até a votação, o presidente venezuelano Hugo Chávez deverá cometer alguma bobagem”, disse Tasso Jereissati.
A expectativa na oposição é que Chávez envie ao Senado pedido formal de desculpas por ter chamado os senadores de “papagaios” do Congresso americano, numa crítica à demora na votação. O PSDB irá votar contra a adesão, mas o DEM tem defecções. O líder do partido, Agripino Maia (RN), disse que irá reunir a bancada para tentar fechar uma posição.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email