Governo apoia manejo de pirarucu

O governo do Amazonas incentiva o manejo sustentável do pirarucu em comunidades localizadas dentro de Unidades de Conservação estaduais, com o objetivo de gerar oportunidade de renda com esta atividade. No final do ano de 2011, a SDS (Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável), por meio do Ceuc (Centro Estadual de Unidades de Conservação), apoiou o manejo realizado pelos pescadores das comunidades de Pinheiro e Nossa Senhora do Livramento (Lago do Ayapuá) e comunidades Cauã/Cuiuanã, todas localizadas na RDS (Reserva de Desenvolvimento Sustentável) Piagaçu-Purus, e comunidades da Vila do Itapuru, localizada na área de entorno. A ação contabilizou 241 espécies manejadas, aproximadamente, 11,3 toneladas de pirarucus, envolvendo 83 famílias, com uma renda de R$ 56.231,49 ao ano/famílias.
Importante ressaltar que o processo de manejo na área iniciou pelos moradores da comunidade de Itapuru, onde moram 90 famílias. A partir desta iniciativa e com o apoio do governo do Amazonas por meio da SDS/Ceuc, a atividade se estendeu para as comunidades que moram dentro da reserva, envolvendo e beneficiando 83 famílias, viabilizando uma renda extra no final do ano de 2010. Com o dinheiro advindo do manejo, as comunidades de Itapuru e Cuiuanã adquiriram recentemente flutuantes para auxiliar na vigilância dos lagos.
“Os moradores das UCs são os maiores parceiros do governo do Amazonas. É a partir do conhecimento tradicional aliado ao conhecimento científico que o manejo do pirarucu ocorre. Essa é a melhor alternativa para a sobrevivência da espécie”, ressalta Nádia Ferreira, titular da SDS.
Tendo em vista a abundância de pirarucu na região, as comunidades solicitaram autorização ao Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), e ao Ceuc, que liberaram a despesca.
A primeira despesca, realizada em 2010, somou 127 pirarucus manejados da região, o que possibilitou a realização da segunda despesca na RDS. A atividade proporcionou ainda um intercâmbio entre os moradores das comunidades citadas acima, com moradores de Unidades de Conservação Federal localizadas na Calha do Purus (Resex Médio Purus, Resex Ituxí). A ação contou com o apoio financeiro do IEB (Instituto Internacional de Educação do Brasil), por meio do PDLS (Programa de Desenvolvimento Local Sustentável), e a parceria do IPI (Instituto Piagaçu-Ipi).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email