Google lança serviço que permite acesso de egípcios ao Twitter

O Google lançou um serviço que permite à população do Egito enviar mensagens ao Twitter por meio de uma ligação telefônica, enquanto o acesso à internet continua bloqueado naquele país, que enfrenta intensos e violentos protestos pela derrubada do presidente Hosni Mubarak.
“Como muita gente, estamos acompanhando com atenção as notícias que surgem no Egito e pensando no que podemos fazer para ajudar as pessoas envolvidas”, afirmava um post no blog oficial do Google na noite de segunda-feira.
O serviço, que o Google disse ter sido desenvolvido em cooperação com engenheiros do Twitter, permite que pessoas liguem para um número de telefone e deixem uma mensagem de voz, que é convertida automaticamente em arquivo de som encaminhado ao Twitter com o tag #egypt, informou a empresa de buscas.
O Google afirmou no post, intitulado, “o trabalho que realizamos no final de semana para (com sorte) ajudar mais egípcios a se fazerem ouvir”, que não é necessária conexão à internet para utilização do serviço.
O texto mencionava três números de telefone que poderiam ser usados para tais mensagens. Sites de redes sociais como Twitter e Facebook vêm sendo utilizados como ferramentas de comunicação para os manifestantes do Egito, que saíram às ruas em protesto contra o governo de Hosni Mubarak, no poder há 30 anos.
O acesso à internet está bloqueado em todo o país e os serviços de mensagens de texto via celular foram desativados.
Uma fonte próxima ao assunto disse que o Google não estava tomando partido na crise egípcia, mas defendendo o acesso à informação, como já fez com outros serviços, como o YouTube.
O YouTube está transmitindo em tempo real a cobertura da TV Al Jazeera no Egito.
Dezenas de mensagens de voz ao Twitter estavam disponíveis no site na segunda-feira, deixadas por pessoas que se identificavam como egípcias e relatavam a situação em diversas partes do país.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email