10 de abril de 2021

Gasto com seguro desemprego avança 37%

O salário mínimo foi reajustado ontem em 8,82%, de R$ 465 para R$ 510, a partir de janeiro, divulgou o Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo do Trabalhador)

O salário mínimo foi reajustado ontem em 8,82%, de R$ 465 para R$ 510, a partir de janeiro, divulgou o Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo do Trabalhador). Até aqui, somente os trabalhadores empregados comemorariam, mas quando se aplica o aumento do salário-mínimo aos cálculos para a liberação do seguro-desemprego às pessoas temporariamente sem atividade profissional, o aumento é ainda maior: de 9,67%.
Quem estiver agrupando os documentos necessários para solicitar o benefício do seguro-desemprego, com previsão de recebimento a partir de fevereiro de 2010, tem direito a sacar nas agências da Caixa Econômica Federal e Loterias até R$ 954,21 por parcela. Além disso, terá certeza de contar com, no mínino, R$ 510 por depósito.
Pouco mais de 78,7 mil trabalhadores amazonenses receberam R$ 235,9 milhões em seguro-desemprego no período de janeiro a outubro deste ano, representando 37,98% além do valor liberado no mesmo espaço de tempo em 2008. O valor médio das parcelas foi de R$ 536,52 em 2008, contra R$ 599,25 neste ano, uma diferença de 10,46%. Apesar de faltar menos de uma semana para terminar o ano, estes são os números mais atuais da SRTE/AM (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Amazonas) e foram divulgados na semana passada, pelo titular do órgão, Dermilson Chagas.
Na avaliação do superintendente não há necessidade de fazer comparações anuais de quanto o governo federal gastou para pagar o seguro-desemprego. “Algumas pessoas querem sempre que o valor aumente, como se torcessem para que os trabalhadores perdessem seus empregos só para receber o benefício”, disse Chagas. “Nosso objetivo é que a quantidade de segurados diminua cada vez mais, porque assim saberemos que a massa de empregados no mínimo fica estável”, completou.
O aumento do salário mínimo está 4,64 pontos percentuais acima da inflação oficial, calculada pelo IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) do IBGE (Instituto brasileiro de Geografia e Estatística). Dessa forma, houve ganho real de 4,64% sobre a inflação, como lembrou Chagas.
Segundo o presidente do Sintracomec/AM (Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil do Amazonas), Roberto Bernardes, qualquer aumento no salário mínimo é bem-visto pelos sindicatos trabalhistas. “O trabalhador que recebe só um salário [mínimo] sabe a diferença que é ter R$ 45 a mais no bolso todo mês. Esse foi um belo presente de Natal e esperamos poder comemorá-lo todos os anos”, animou-se Bernardes.

Mais de 6,2 mi brasileiros vão receber o benefício

A cidade de Manaus possui 30 mil empregados integrantes da indústria da construção civil. Este número sobe para 36 mil quando considerado todo o Estado do Amazonas, segundo informações do Sintracomec/AM.
O MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) prevê um impacto superior a R$ 1,5 bilhão nas parcelas do benefício, consideradas todas as suas modalidades. Para realizar o cálculo de quanto será a nova parcela do seguro-desemprego, o trabalhador deve adotar algumas fórmulas.
Quando a média dos três últimos salários anteriores à dispensa for até R$ 841,88, o valor da parcela será o resultado da multiplicação por 0,8. Porém, se a média dos três últimos salários ficar entre R$ 841,89 e R$ 1.403,28 o valor será o resultado da multiplicação por 0,5, com a soma de R$ 673,51. E média que exceder o valor de R$ 1.403, o valor da parcela será R$ 954,21, esclareceu o ministério.
Mais de 6,2 milhões de brasileiros receberão o seguro-desemprego em 2010, vislumbram os economistas do MTE, totalizando R$ 17, 9 bilhões em parcelas. Há ainda a previsão de R$ 727, 6 milhões de incremento no abono salarial, considerando a projeção de pagamento de benefícios no calendário 2009/2010. No final da conta, esses valores corresponderão a um adicional de R$ 2,3 bilhões circulando na economia.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email