Gás natural vai gerar economia de R$ 1,28 bilhão para Manaus

https://www.jcam.com.br/1112_CAPA A.jpg
Manaus Energia confirma redução imediata na arrecadação de R$ 1 bilhão

O montante de R$ 1,28 bilhão será o que a cidade de Manaus vai economizar no primeiro ano após a conversão da fonte de geração de energia elétrica utilizada nas usinas termelétricas, transitando do sistema a óleo diesel para o gás natural. A economia será possível com diminuição do subsídio da CCC (Conta de Consumo de Combustíveis) devido ao custo inferior do gás em relação ao óleo. A contribuição é feita pelas concessionárias de energia com o objetivo de cobrir os custos do sistema termelétrico do país.

A informação é do relações institucionais e SMS da Petrobras, Roberto Mannarino. Ele disse que hoje, o preço dos óleos diesel (70%) e comb (30%), utilizados nas termelétricas, é de R$ 32,30 por MMbtu (milhão de BTU), em contrapartida o metro cúbico do gás natural será cobrado a R$ 12,64, registrando a economia no valor de R$ 19,56. O consumo atual é de 4 milhões de litros de óleo por dia para geração de energia elétrica.

“Como o abastecimento diário de gás natural será de 5,5 milhões de metros cúbicos, será poupado R$ 1.289 bilhão no primeiro ano de abastecimento a gás”, explicou Mannarino. No valor total do gás natural (R$ 12,64), estão somados os preços do produto (R$ 3,01), transporte (R$ 9,18) e distribuição (R$ 0,45).

O presidente da Manaus Energia, Willamy Frota, confirmou a redução imediata na arrecadação na ordem de R$ 1 bilhão no primeiro ano após a conversão. “A transição do sistema a óleo para gás será um marco para o desenvolvimento da região. O Amazonas será o único Estado da Amazônia a produzir e consumir o seu próprio gás”, disse.

Além da vantagem econômica, o gás natural trará benefícios ambientais, pois emite 30% a menos de CO2 (gás carbônico) na atmosfera que queima o óleo combustível.

Atualmente, o valor da CCC em Manaus representa em torno de 0,5% da conta de energia elétrica. Neste ano, a Manaus Energia vai recolher na ordem R$ 2 bilhões com a cobrança do encargo em todo o Amazonas. O total representa 50% do total nacional, que será em torno de R$ 4 bilhões. Desde total, R$ 1,5 bilhão foi recolhi do em Manaus e os R$ 500 milhões restantes no interior.

O índice arrecadado com a tarifa registrou decréscimo de 20% comparando ao resultado obtido no ano passado. A queda ocorreu devido à substituição do diesel pelo óleo pesado, que tem custo inferior. De acordo com o presidente da concessionária, a mudança do tipo de óleo foi feito em cinco das 15 usinas que compõem o Parque de Geração Térmica da Manaus Energia, responsável pela geração de 80% da energia elétrica consumida na cidade e os demais 20% pela Usina Hidrelétrica de Balbina.

Apesar da queda na arrecadação da CCC, houve crescimento de 8% no consumo de energia elétrica no Amazonas de janeiro a outubro de 2007 ante ao mesmo período do ano anterior. O gasto de energia em 2007 foi o dobro da média brasileira, que ficou entre 4% e 5%. “Este resultado revela que o Estado está em ritmo acelerado de crescimento, pois o consumo de energia é o principal vetor do desenvolvimento”, disse. A projeção é registrar incremento de 10% no consumo de energia elétrica no Amazonas até o final deste ano comparado a 2006.

Obras do gasoduto

O término das obras do gasoduto Urucu-Coari-Manaus está previsto para dezembro do próximo ano e começo da operacionalização no primeiro semestre de 2009. Além de Manaus, o gás natural chegará somente a sete municípios do interior do Estado: Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Manacapuru e Iranduba. A produção inicial será de 4,7 milhões de metros cúbicos por dia. Com a estação de compressão, a capacidade passa para 10 milhões. “Esse nível será suficiente para atender a demanda das fábricas do Pólo Industrial de Manaus, termelétricas e refinarias”, garantiu o gerente do gasoduto, Mauro Loureiro.

Até o início deste mês dezembro, a tubulação que vai conduzir o gás natural já foi instalada e soldada em 165 dos 278 quilômetros do Trecho A (Urucu-Coari). Nos Trechos B1 (Coari-Anamã) e B2 (Anamã-

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email