Gás chega ao PIM em 2013

A Cigás (Companhia de Gás do Amazonas) segue com a segunda etapa da obra de ampliação da rede de GN (gás natural) canalizado. Enquanto isso, anuncia que pretende começar operações no PIM (Polo Industrial de Manaus) no primeiro trimestre de 2013. Para industriários, a implantação dos gasodutos não representa vantagens.
A companhia tem o compromisso de entregar as obras a dez clientes -um posto de combustível e nove empresas dos segmentos químico e de alimentação- até setembro deste ano. Nesta etapa da expansão, a decisão foi priorizar as indústrias localizadas na avenida Torquato Tapajós. “Conseguimos a contratação de 100 mil metros cúbicos por dia, dos quase 500 mil que temos a disposição”, destaca o presidente da companhia, Lino Chíxaro.
Segundo dados cedidos pela Cigás, o aporte para esta fase do projeto é de aproximadamente R$ 10 milhões e conta com mais de 4,5 quilômetros de gasoduto (além de contratos com empresas para fornecimento de tubos de aço, válvulas, estação de medição e regulagem do GN, controle de medição de gás, tubulações para fibra ótica da rede e a empresa responsável pela fiscalização do serviço).
Apesar do alto investimento, o presidente do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas) Wilson Périco, não aposta na adesão da indústria. “Para fazer a conversão, as empresas precisam gastar muito”, lembra.
De acordo com Périco, a maioria das empresas do PIM utiliza a energia fornecida pela Manaus Energia. A vantagem só surgiria caso o GN cedido pela concessionária tivesse o preço reduzido. “O gás em Manaus ainda não é tão barato quanto parece e em termos de facilidades, fica mais limitado aos motoristas”, lamenta.
A tabela de preços do GN para a indústria foi estabelecida em janeiro de 2010 e varia conforme a faixa de consumo. O preço do metro cúbico vai de R$ 1,21 a R$ 1,57, já incluindo impostos. A tarifa do GNV é de R$ 1,23, somando os impostos, com pagamento a vista.
Obras atuais
O gerente comercial da Cigás, Frederico Paixão, as obras (que tiveram início no dia 7 de maio) estão voltadas para as atividades de construção e montagem na avenida Torquato Tapajós. Entre os horários de 7h e 17h, os operários focam na soldagem, inspeção e recomposição do asfalto.
A partir das 20h, uma outra equipe realiza escavações, abaixamentos da coluna e reaterro. “Nós tivemos que adaptar nosso planejamento para não interferir negativamente no trânsito do local”, diz.

Ampliação da venda de GNV

De acordo com o presidente da Cigás, Lino Chíxaro, a companhia pretende expandir a venda de GNV (gás natural veicular) para toda a população. Por isso, a companhia firmou parceria recente com a rede Equatorial de postos de combustível e está em fase de negociação com a BR Distribuidora. “Um posto próximo ao Aeroporto Internacional Eduardo Gomes passará a comercializar o produto nos próximos meses”, avaliou.
Para incentivar a adesão de mais motoristas ao GNV, a Cigás encaminhou para avaliação do governo estadual um projeto de acesso a crédito –por meio da Afeam (Agência de Fomento do Estado do Amazonas)– e concessão de incentivos fiscais para os interessados fazerem a conversão e utilizarem o produto.
“O GNV gera uma economia de 40% para o proprietário do veículo”, diz o presidente. Segundo ele, a conversão custa R$ 5 mil, em média.
Além de incentivar novas pessoas a aderirem o gás, Chíxaro garante que problema como a falta de gás deixarão de existir com a adaptação do gás canalizado. “Agora os taxistas poderão trabalhar sem problemas”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email