Funcionários da Natura mantêm estado de greve

Uma nova reunião entre o Sindicato dos Químicos Unificados e representantes da Na­tura deverá ser realizada na próxima quarta-feira, dia 17. De acordo com o diretor da re­gional Osasco do sindicato, Paulo Soares Correia, foi mantido estado de greve, iniciado no último dia 9, mesmo após a reunião realizada hoje com representantes da empre­a. “Não tivemos grandes avanços”, disse o sindicalista.

Uma das reivindicações do sindicato é a readmissão de funcionários que teriam sido dispensados por terem discordado das novas metas es­tabelecidas no programa de Gerenciamento de Produtividade Total, conhecido como TPM (sigla em inglês). Segundo Correia, a empresa informou que os empregados não serão readmitidos.

O diretor de assuntos corporativos da companhia, Rodolfo Guttilla, em entrevista à Agência Estado, não confirmou a informação de que os funcionários foram demitidos por não terem alcançado essas metas. “Essa relação de causa e efeito não procede”, disse.

De acordo com Guttilla, os objetivos do programa, implantado há dois anos e cujas metas são alteradas anualmente, estão sendo superados em 2007. “A ferramenta é bastante útil. Mas vamos melhorar processos e treinar os funcionários”, afirmou. Segundo Correia, porém, os trabalhadores não estão conseguindo atingir os novos objetivos propostos.

O sindicato também solicita a retirada de advertências dadas a funcionários que não teriam cumprido as metas. Segundo Correia, na reunião desta segunda-feira a companhia informou que retiraria algumas advertências e outras seriam reavaliadas. A Natura informa que não foram dadas advertências.

Na avaliação de Guttilla, o anúncio do estado de greve foi feito porque o sindicato esperava uma resposta da Natura antes de a companhia ter uma definição do setor a respeito dos reajustes.

“As negociações são coletivas, inclusive as patronais. Não podíamos romper com o setor. Negociações mais ou menos tensas sempre tivemos. Mas foi a primeira vez que o sindicato entrou com uma estratégia política”, afirmou.

Nova assembléia

Após a definição das negociações com a empresa, o sindicato deverá marcar assembléia de funcionários. Na ocasião, serão colocados em análise, entre outros assuntos, o reajuste a ser proposto pela companhia e a discordância da empresa em relação a readmissão de funcionários e a alteração do programa de gerenciamento de produtividade, além da possibilidade de iniciar uma greve.

De acordo com o diretor da Natura, na próxima quarta-feira haverá uma reunião do sindicato patronal do setor para dar início às negociações de reajuste da área. Assim, a proposta não deverá ser apresentada no encontro entre o sindicato dos empregados e a empresa. Os funcionários da Natura reivindicam reposição da inflação e reajuste real de 5%, de acordo com o sindicato. O setor tem como data-base o dia 1º de novembro.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email