Frutos revestidos com dextrina podem manter qualidade por até 30 dias

Testes realizados por pesquisadores da Embrapa Semi-Árido, em Petrolina (PE), revelaram que frutos revestidos com soluções contendo composto de nome dextrina, formado a partir da degradação do amido, tem boa eficiência na conservação pós-colheita de manga da variedade Tommy Atkins. Os produtos mantiveram sua qualidade comercial por até 30 dias, sendo 20 dias sob condições de armazenamento em câmara fria e dez em temperatura ambiente.
“É um bom resultado, semelhante aos que são obtidos nas empresas exportadoras do Submédio São Francisco”, afirmou a pesquisadora Maria Auxiliadora Coelho Lima, que atua na área de fisiologia e tecnologia pós-colheita da Embrapa Semi-Árido.
De acordo com Maria Auxiliadora, tanto a cera quanto o amido e a dextrina são usados na forma líquida e aplicados nos frutos para formar uma camada de revestimento que atua para limitar a perda de água do fruto e a entrada do oxigênio que acelera o amadurecimento, reduzindo a suscetibilidade à penetração de microorganismos.
“Dessa forma, aumentam o período de conservação e, quando incluem uma substância lipídica (óleo) na sua composição, intensificam o brilho da casca da manga, o que favorece a aparência das frutas durante sua exposição no mercado. Essa operação é um dos principais procedimentos pós-colheita que valorizam a qualidade da fruta e demanda investimentos em recursos técnicos e desenvolvimento de materiais de baixo custo e mais eficientes em ampliar a vida útil da manga após a colhida nos pomares”, explicou a pesquisadora da Embrapa.

Aditivos sintéticos

Atualmente, o tratamento complementar à refrigeração usado na conservação dos frutos é a cera, que contém aditivos sintéticos, alguns deles conferindo um forte odor durante a aplicação.
Alguns estudos também indicam benefícios com a utilização do amido de mandioca, embora ainda não se tenha obtido um produto comercial que permita a formação de uma película uniforme na superfície dos frutos.
Nas pesquisas realizadas a partir de 2006, no laboratório de Fisiologia Pós-colheita da Embrapa, a dextrina não apresentou nenhum desses problemas. Além disto, tem a vantagem de ser solúvel em água na temperatura ambiente. Portanto, basta dissolver na água que está pronta para ser pulverizada sobre os frutos.
O preparo do amido, por sua vez, requer o aquecimento da água até 700 C, em média, para sua dissolução, formando um gel. O aquecimento da água, no universo da grande quantidade de frutos que são tratados, para ter prolongada sua vida útil até a ida ao mercado, requereria investimentos em tanques de aquecimento e gasto energético.

Amadurecimento acelerado

As mangas são frutas que os técnicos consideram climatéricas. Isto porque, depois do aumento de produção de uma substância identificada como etileno, o processo de amadurecimento se acelera muito e, em aproximadamente sete dias, elas ficam impróprias para o consumo.
Por essa desvantagem, somente com aviões é possível transportar a fruta, em boas condições comerciais, para importantes mercados consumidores, como os dos Estados Unidos, da União Européia e do Japão. Dessa forma, é inviável a exportação por meio de navios, que levam, em média, 15 dias para se deslocarem de portos do Nordeste para esses lugares.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email