Frota de carros elétricos é escassa no Amazonas

O Amazonas ocupa o décimo lugar quando o assunto é frota eletrificada das empresas de locação no país. Estudo inédito realizado pela Abla (Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis),  com estatísticas obtidas pela associação junto ao Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), mostra que o mercado de locação no Estado ainda patina na oferta de veículos elétricos. 

Paulo Miguel Júnior, presidente do Conselho Nacional da Abla defende que  há desafios a serem vencidos não apenas no Amazonas, mas em todo o país. Apesar de os elétricos serem “um caminho sem volta”, ainda é preciso melhorar a infraestrutura a partir da expansão dos postos de recarga pelo país –e no Amazonas não é diferente. “É visível o desejo por mais sustentabilidade e isso se aplica também ao transporte, mas além da infraestrutura as locadoras também precisam de volume em termos de oferta e procura para que possam investir com ênfase e mais rapidamente em modelos elétricos”. 

De acordo com ele, tanto em termos de usuários corporativos como nas indústrias, e também entre as pessoas físicas, a aceitação é surpreendentemente positiva. Porém, para  diversificar o potencial de mercado e explorar a eletromobilidade,  é necessário  a criação de mais projetos que incluam o aluguel de veículos elétricos nas frotas públicas do Amazonas, seria importante para fazer com que a eletrificação avançasse no Estado. Seria um passo inicial importante para o objetivo de popularizar os elétricos, por exemplo.

No que tange aos investimentos por parte das locadoras, está a relação custo-benefício. “Os veículos elétricos ainda custam caro, ainda mais para as locadoras, que compram grandes volumes de uma só vez. O preço do carro impacta diretamente nas tarifas de locação. Para viabilizar um investimento mais significativo e volumoso em quantidade, seria importante que os elétricos começassem a receber incentivos e estímulos legislativos que, de fato, tornem seus preços iniciais mais acessíveis”, afirma.

Conforme pesquisa da associação, regionalmente, o Amazonas conta com somente 7 veículos licenciados por empresas de locação. O Estado  está à frente de Goiás, Pará, Sergipe, Bahia e Paraíba, com 3, 2 e 1 unidades, respectivamente. 

O Jornal do Commercio sondou quais seriam as empresas que ofertam a locação do modal no Estado, no entanto, a Abla não possui essa informação. O Serpro fornece somente o total de veículos licenciados por locadoras em cada Estado da federação, sem identificar nominalmente cada empresa. Dessa forma, a entidade não tem acesso à quantidade de veículos em cada locadora, mas sim acesso à frota total licenciada por todas as locadoras em conjunto. “Especificamente no Amazonas, temos que ao final do primeiro semestre de 2021, eram quatro veículos utilitários e três automóveis elétricos licenciados em nome de locadoras”, acrescenta a Abla.

Pesquisa

Os dados revelam que no primeiro semestre de 2021 o setor de locação ultrapassou, pela primeira vez, a marca de 1,5 mil veículos elétricos em sua frota total no país. O setor atingiu exatas 1.507 unidades licenciadas em nome de empresas de aluguel de carros.

A pesquisa considerou os automóveis comerciais leves, caminhões, ciclomotores, ônibus e motos movidos à eletricidade e licenciados em nome de empresas de aluguel de veículos. Os resultados apontaram que os automóveis correspondem à maior parcela (769) de veículos elétricos nas locadoras, seguidos pelos ciclomotores (141) e pelas caminhonetes (116).

Há, também, 86 motonetas e 61 motocicletas elétricas no setor, além de 98 ônibus. O Nissan Leaf Tekna é o automóvel elétrico mais presente (246 unidades) na frota do setor de aluguel de carros, seguido pelo ciclomotor Dayang Ecooter E1S (138) e pelo CAOA Chery Arrizo 5E (126 veículos). O BYD E5 (100 unidades) é o caminhão mais emplacado pelas locadoras no Brasil.

São Paulo é o Estado que reúne a maior parte da frota eletrificada das empresas de locação, com 767 unidades licenciadas por empresas de locação. Em seguida vêm Minas Gerais e o Paraná, respectivamente com 378 e 119 unidades, completando o ranking dos três primeiros em quantidade de elétricos nas locadoras no país. Distrito Federal (65), Rio de Janeiro (51) e Santa Catarina (40) também já contam com frotas representativas de elétricos no setor de aluguel.

O presidente da Abla, Paulo Miguel Júnior, diz que “para não perder o bonde da história, as locadoras precisam seguir atentas ao avanço da presença dos elétricos”, acrescentando que a eletrificação de frotas também será tema de uma masterclass durante o 16º Fórum Internacional do Setor de Locação, entre 19 e 21 de outubro deste ano.

Para Miguel Júnior, é visível o desejo de um crescente número de pessoas, especialmente as mais jovens, por sustentabilidade e isso se aplica também ao transporte. “As locadoras estão sendo cada vez mais incluídas entre os principais players de mobilidade urbana e isso implica em necessidade de nos ajustarmos ainda mais rapidamente às novas tendências”, completa o dirigente da associação.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email