13 de abril de 2021

Franchising: mercado promissor para o Norte

O mercado de franquias está em alta, prova disso é que o setor faturou R$ 77 bilhões, encerrando 2010 com um crescimento de 20,4%, em relação a 2009

O mercado de franquias está em alta, prova disso é que o setor faturou R$ 77 bilhões, encerrando 2010 com um crescimento de 20,4%, em relação a 2009. Segundo o diretor-executivo da ABF (Associação Brasileira de Franchising), Ricardo Camargo, hoje as regiões Centro-Oeste e Norte são as que possuem maior potencial. “Este ano realizaremos a primeira feira do setor, a Amazon Franchising 2011 juntamente com a Premiar”, disse. Em entrevista ao Jornal do Commércio, ele destaca ainda como está o mercado no Brasil e dá dicas para futuros investidores do setor.

Jornal do Commercio – Quais as novidades que a feira de franquias trará?
Ricardo Camargo – A expectativa é que tenhamos as maiores empresas do ramo, porque Manaus hoje já é um polo de concentração muito forte na área de franquias, as marcas principais já têm operações aqui, mas algumas tem interesse de expandir os negócios para o Norte. Por exemplo, o Habib’s já está aqui, mas pode trazer o Ragazzo que é uma nova linha que eles lançaram de comida italiana, tem também uma nova cadeia de salgados que provavelmente têm interesse de vir para cá entre outras. Hoje (ontem) iremos fazer o lançamento da feira e amanhã essas informações já estarão disponíveis no site da ABF, então a partir daí é que teremos uma mensuração do interesse das empresas que estão em expansão para essa região.
JC – Como está o mercado de franchising no Norte do país?
RC- Manaus tem hoje aproximadamente 487 operações, enquanto em Belém tem cerca de mil franquias, e o Estado do Pará já está partindo também para a interiorização, os shoppings Parauapebas, Marabá e o Imperatriz já estão começando a receber as primeiras unidades de franquia. As franquias no Amazonas ainda são mais concentradas na própria capital. Outros Estados também têm tido interesse muito forte em crescer no setor, como Acre e Amapá.
JC – Por que investir hoje em franquias?
RC – Franquia é um investimento relativamente seguro, devido as empresas já terem algum tempo de estrada. Hoje na área de franquias você tem linhas de crédito especiais junto as bancos oficiais e privados como o Bradesco, que inclusive confirmou a presença na feira. Além disso, há também a baixa mortalidade, que se dá em função do apoio que o franqueador dá ao investidor para que ele possa operar o negócio com sucesso, que vai desde a escolha de funcionários, treinamento a planejamentos operacionais.
JC – Qual o seu conselho pra quem deseja entrar no mercado?
RC- O que a gente indica é que mesmo que a tenha muita criatividade e queira criar seu próprio negócio, primeiramente faça um teste com o sistema de franquia, lá ele entenderá como é que ele faz treinamento, recrutamento, como é que cuida da parte legal, contábil, através de tudo isso ele vai ter como muito mais rapidez a informação e isso seria um estágio até intermediário que poderia ser interessante para ele. E a partir daí ele trilha o seu caminho, no qual ele pode seguir dentro da mesma marca com mais unidades, ele pode ainda agregar outras franquias que não tenham competição com a que opera, ou até mesmo criar uma, com os frutos daquele conhecimento que ele adquiriu
JC – Quais os erros mais comuns de uma pessoa que deseja investir em uma franquia?
RC – O primeiro erro é escolher mal o tipo de atividade econômica, muitas vezes não era bem aquilo que ele pensava ou ele quis ter um restaurante, mas esqueceu que o restaurante tem movimento no final de semana e a noite, ou ainda, não tem paciência para treinar funcionários e esse é o índice maior de problema. A segunda é a má escolha do ponto comercial, ele escolheu mal o local para o tipo de atividade da franquia. O terceiro erro é o de apoio ao franqueador, em que muitas vezes o investidor não quer se sujeitar às regras ou então o franqueado quer ser mais autônomo.
JC – Quais os fatores que levaram ao sucesso do sistema de franquias no Brasil?
RC – O sistema de franquia no Brasil representa hoje 2,3% do PIB (Produto Interno Bruto). A Austrália que é um país de 20 milhões de habitantes tem 14% do PIB vindo da franquia, os Estados Unidos que têm o maior mercado de franquias do mundo, com 800 mil pontos de venda, têm 20% do PIB concentrado no mercado de franquia. O Brasil com 2,3%, ainda tem muito que crescer na área, inclusive no interior dos Estados, o que provavelmente acontecerá nos próximos 5 anos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email