Foz de Canumã realiza festividades da padroeira

A comunidade de Foz de Canumã, cidade que fica a 10 km do Município de Nova Olinda do Norte, realiza entre os dias 27 de setembro e 10 de outubro, os festejos da padroeira, N. Sra. do Rosário (Prelazia Apostólica de Borba). O tema adotado este ano pela paróquia é “Maria do Rosário, Primeira Cristã”.
O padre da Paróquia N. Sra. Do Rosário, Antonio Ramiro, visitou a redação do Jornal do Commercio, fez o convite a todos os católicos a participarem do evento e aproveitou a oportunidade para denunciar o abandono em que vive a comunidade. “A cidade precisa urgente que as autoridades a visitem e vejam as dificuldades encontradas pelas pessoas que ali residem”, avaliou.

Programação do evento

Dentro da programação está prevista para o dia 10 de setembro às 20h a Celebração da Eucaristia que contará com presença do Grupo Imbaúba (Celdo Braga) no Manaus Show Clube em Manaus.
No dia 11, a partir das 18h também em na capital, vai acontecer o dia de Canumã em Manaus, onde haverá vendas de comidas típicas a base de peixes, a participação das Agremiações Jaraqui da Escama Grossa e Jaraqui da Escama Fina, vendas de artesanato dos índios mundurucus, artesanato de madeira reciclada e artesanato canumaense.
O dinheiro arrecadado será para ajudar na construção da nova igreja, criar um centro para a juventude, montar um centro de artesanato, um espaço para corte e costura música e dança.

Abandono da comunidade

Segundo o padre, a comunidade de Foz de Canumã tem quase dois mil habitantes, vive em situação de abandono e seus moradores passam por momentos de desespero quando precisam de serviços de urgência na área de saúde. “É deprimente ver pessoas precisando de ajuda e não poder fazer nada, temos apenas um posto de saúde que não consegue suprir as necessidades, precisamos de um hospital urgente”, desabafou.
Ele informou ainda que o propósito da festa além do cunho religioso é chamar a atenção das pessoas para conhecer as dificuldades da comunidade.
O padre Antonio Ramiro revelou que os jovens da comunidade estão abandonados e envolvidos com drogas. “Estou preocupado com os jovens, muitos estão na bebedeira e no mundo das drogas, pequenos roubos e furtos já fazem parte da rotina da população. A segurança no local é muito precária, temos apenas um policial para garantir a segurança de quase dois mil habitantes. Peço que as autoridades competentes ajudem a nossa comunidade”, finalizou o pároco.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email