27 de fevereiro de 2021

Fotógrafo destaca corpos como obras de arte

Nudez. Das telas dos grandes pintores para a fotografia foi um pulo. As primeiras fotos de nudez, conhecidas, são do final do século 19, e se tornaram comuns como qualquer outra foto com os personagens vestidos. Com o surgimento dos nudes, na internet, então, há poucos anos, quem gosta de expor o corpo se soltou de vez, por isso o fotógrafo Bernardo Oliveira não teve dificuldades para encontrar modelos para montar a exposição ‘Bella Natura’, que acontece até o dia 18, quarta-feira, no Casarão de Idéias (rua Barroso, 279 – Centro).

“A ideia inicial foi fazer fotos com todos os tipos de pessoas. Fiz um post no meu Instagram falando que queria renovar o meu portfólio. Queria fazer algo mais autoral, do jeito que imagino que a nudez tenha que ser. A maioria dos candidatos foi de mulheres, apenas um casal se prontificou, porém eu perdi o contato deles e nenhum outro homem manifestou interesse”, disse.

A maioria dos candidatos foi de mulheres, apenas um casal se prontificou

“Quando eu comecei a publicar o resultado das imagens, aí pude ter um feedback maior. Muitas das pessoas que viram, gostaram e se identificaram. Existem outras pessoas, porém, que ainda esbarram na barreira do tabu e do julgamento social, mas eu espero que essa realidade mude”, falou.

A mostra conta com 14 fotografias produzidas por Bernardo, todas com modelos nuas e em meio à natureza. Todas as fotos foram feitas em Manaus, em meados do ano passado, com exceção das fotos da Pabi Xavier, produzidas em Manacapuru, no começo deste ano.

A mostra conta com 14 fotografias produzidas por Bernardo, todas com modelos nuas e em meio à natureza

Fotografava de tudo

‘Bella Natura’ é a primeira exposição de fotografias realizada por Bernardo, “e tem sido uma experiência muito boa, pois tenho tido a oportunidade de contactar com pessoas diferentes, com outras percepções, e tenho visto que a mensagem que quis passar realmente fez a diferença para alguém. Uma pequena turma de alunos foi conhecer a exposição e saíram falando que queriam realizar coisas assim no futuro. Isso é muito gratificante, esse reconhecimento do seu trabalho”, revelou.   

Bernardo começou na fotografia apenas como hobby por não acreditar que alguém pudesse se sustentar com aquele trabalho. Adolescente, sempre andava com sua câmera nos passeios do colégio e nos shows que ia com os amigos, tirando fotos da turma para mostrar depois.

“Durante a faculdade eu pude me aprofundar um pouco mais na parte técnica e também surgiu a oportunidade de fotografar para um site de eventos da cidade. Não era um trabalho remunerado, mas eu ia ter a chance de aprender na prática. Muito do que eu sei hoje, aprendi sozinho e na troca de experiências com outros profissionais”, lembrou.

Na faculdade, Bernardo deixou a fotografia de lado para se concentrar no seu curso, Publicidade, porém, se sentia deslocado trabalhando em agências de publicidade.

Desempregado e sem querer procurar emprego em outra agência, o fotógrafo renasceu em Bernardo. O rapaz pegou o pouco dinheiro que ainda restava e resolveu investir no próprio negócio. Gastando mais do que ganhava, mas fazendo o que gostava, Bernardo começou fotografando de tudo um pouco: formaturas, aniversários infantis, publicidade, eventos corporativos e o que aparecesse, porém, era nos casamentos que ele se enchia de felicidade, como os noivos.

“Era como se as pessoas compartilhassem a felicidade delas comigo e passei a me sentir mais completo profissionalmente nesses trabalhos”, recordou.

Desde 2009 Bernardo atua como profissional, inclusive dando aulas em universidades.

Corpos são obras de arte

Fotografar a nudez sempre foi a grande vontade de Bernardo, principalmente depois que conheceu os trabalhos de Bob Wolfenson e Fernando Schlaepfer, nos quais a nudez é retratada da forma mais pura possível, sem malícia ou objetificação do corpo.

“Fotografar a nudez pra mim é a mais bela e inocente forma de expressão visual, afinal chegamos a esse mundo sem nada e também não vamos levar nada de material quando partirmos”, filosofou.

Nas fotos de ‘Bella Natura’, Bernardo optou por trabalhar unicamente com pessoas comuns, para mostrar que todo o corpo tem sua beleza e, tenham as formas que tiverem, são uma obra de arte.

“Quando fiz a seletiva, conversei com todas as interessadas pra poder fazer as escolhas certas mas, de cara, eu queria pessoas com corpos fora do padrão que a sociedade considera ‘de beleza’. Também queria diversificar ao máximo as formas dos corpos”, revelou.

“Mas o objetivo principal era a reflexão. Assim como a natureza é bela mesmo sendo muitas vezes de padrões diferentes, você também é, não interessa o corpo que tenha e sim o ser maravilhoso que é”, ensinou.

Atualmente Bernardo fotografa apenas casamentos e ensaios de nudez, além de ministrar aulas on-line e presenciais em universidades.

“Bella Natura’ segue aberta para visitação, de quarta-feira a domingo, das 15h às 20h, com entrada gratuita.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email