Fotobiomodulação é a nomina mais atual que veio para substituir laserterapia, por ser um termo mais abrangente que engloba LASER, LED E LUZ CONVÊNCIONAL, mostrando a amplipute de possibilidades de trabalho e tratamento que podemos oferecer aos nossos pacientes.

Na ODONTOLOGIA muito se fala de LASER de baixa potência vermelho e infravermelho que são definidos por diferentes comprimentos de onda, também se fala de LASER de alta potência de Diodo e Érbio que estão disponíveis no mercado nacional, claro que há outros LASER como o de CO2 e de Néodinio. 

Hoje vou falar um pouco sobre as inúmeras aplicações do LASER DE BAIXA POTÊNCIA VERMELHO. 

Denominado baixa potência devido ao seu comprimento de onda que fica na faixa dos 444nm, em uma fibra ampla o suficiente para não concentrar energia a ponto de promover vaporização do tecido e sim somente estímulo cicatricial nas células superficiais do tecido trabalhado.

Ressalta-se que o LASER terapêutico não tem efeito diretamente curativo, mas atua como um importante agente antiálgico, proporcionando ao organismo uma melhor resposta à inflamação, com consequente redução do edema e minimização da sintomatologia dolorosa, além de favorecer de maneira bastante eficaz a reparação tecidual da região lesada mediante a bioestimulação celular.  

Outra grande indicação seria no tratamento de infecções bucais e faciais em associação com o uso do azul de metileno, terapia conhecida como PDT, que promove a eliminação de praticamente 100% de bactérias, vírus, fungos e protozoários. Essa terapia tem grande indicação no tratamento de Herpes, Mucosite, Afta, bolsa periodontais, infecções dentárias e infecções bucais.

No quesito pós operatório o alívio da dor é imediato e notório, bem como acelera o processo de cicatrização local com grande alivio para o paciente e familiares. 

No próximo artigo falaremos do LASER de baixa potência INFRA VERMELHO,  que possui outras indicações tão importantes quanto o LASER de baixa potência VERMELHO

 Quer saber mais? Acesse www.drflaviofayad.com.br

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email