Força Nacional apreende 1,4 tonelada de drogas no Amazonas

A FNS (Força Nacional de Segurança) apreendeu pelo menos 1,4 toneladas de drogas e prendeu mais de 82 pessoas após um mês de atuação no Amazonas, segundo balanço divulgado, ontem, pelo Ministério da Justiça.

Os policiais da corporação cumpriram ainda 72 mandados de prisão preventiva, incluindo também foragidos de justiça.A FNS veio para reforçar a segurança do Estado após a onda de ataques de facções criminosas que espalharam terror em Manaus e em nove municípios do interior do Amazonas.

Ainda de acordo com o Ministério da Justiça, desde meados de junho, quando começaram as ações da FNS, foram abordadas aproximadamente 20 mil pessoas e aproximadamente 10 mil veículos, entre carros, motocicletas e ônibus.

“Reunindo efetivos da Força Nacional e as demais forças de segurança, o resultado da operação foi positivo no Amazonas”, ressaltou o ministro da Justiça, Anderson Torres, após a divulgação do balanço sobre a atuação na região.

Os homens da FNS começaram a deixar o Amazonas no dia 7. Composta por policiais militares, civis, bombeiros militares e peritos dos Estados e do Distrito Federal, a Força Nacional atua na preservação da ordem pública, na segurança das pessoas e do patrimônio e também em calamidades.

Além do governo federal, a operação contou com o apoio logístico do governo amazonense que solicitou a vinda da Força Nacional depois da explosão de ataques desencadeados com a morte de um traficante durante confronto com policiais militares em Manaus.

Ônibus foram incendiados, delegacias e unidades de saúde também sofreram ataques, obrigando o governo do Amazonas a decretar lockdown em Manaus para preservar o patrimônio público e privado e ainda a vida da população.

A prefeitura de Manaus também reforçou as medidas do governo estadual. “O importante agora é preservar a vida das pessoas e dos bens públicos”, disse, à época, o prefeito da cidade, David Almeida (Avante).

Esforços

O governador Wilson Lima reforçou as declarações do prefeito. “Não podemos ser reféns de criminosos. As instituições devem restabelecer a ordem pública. O momento é de reunir esforços”, salientou.

Os agentes de segurança da FNS começaram a chegar a Manaus na manhã do dia 9 de junho, três dias após o registro dos ataques criminosos contra ônibus, agências bancárias e prédios públicos. Na época, o objetivo era colaborar com a redução da criminalidade.

As tropas partiram de Apuí, no sul do Amazonas, Rondônia e Brasília. Ao todo, pelo menos 144 policiais participaram da operação no Amazonas, segundo dados do Ministério da Justiça. Alguns agentes de segurança foram encaminhados para o interior do Estado.

De acordo com  a SSP-AM (Secretaria de Segurança Pública do Amazonas), investigações da Polícia Civil do Rio de Janeiro identificaram uma forte ligação entre grupos criminosos do Estado e seu braço na região, autointitulado ‘Comando Vermelho do Amazonas’.

E essas facções teriam iniciado os ataques em Manaus por ordem da alta cúpula do Comando Vermelho, uma retaliação pela morte do traficante ‘Dadinho’ que tinha grande influência e importância nas operações do grupo criminoso.  

O Comando Vermelho se valia do sistema bancário e de empresas de fachada para a remessa de valores do Rio de Janeiro para o Amazonas, conforme a investigação. Em um ano e meio, os valores arrecadados pela quadrilha teria superado R$ 126 milhões, segundo a Polícia Civil do Rio.

A quantia era usada para o fortalecimento da facção no Estado do Amazonas, para a aquisição de armas e drogas para o grupo criminoso do Rio de Janeiro. A pedido dos investigadores, a Justiça determinou o sequestro de bens e o bloqueio de R$ 126.984.934,67 em contas bancárias dos suspeitos e de empresas supostamente envolvidas com as facções.

Foto/Destaque: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email