Flórida e Michigan podem definir candidatura do Partido Democrata

Com Hillary Clinton e Barack Obama competindo delegado a delegado a candidatura democrata à Presidência dos EUA, os líderes do Partido Democrata discutem refazer as primárias em dois grandes Estados que foram deixados de lado por problemas na votação e agora tornam-se um fator determinante para a vitória.
O debate sobre como lidar com Flórida e Michigan – que ficaram sem delegados como punição por terem adiantado suas votações – ganha força à medida que Obama e Hillary trocam acusações e aumenta a temperatura das discussões. O partido democrata teme que os pré-candidatos se desgastem exageradamente nesta primeira fase da campanha, perdendo forças para combater o candidato republicano nas eleições de novembro.
Entre os republicanos, o senador pelo Arizona John McCain já é considerado candidato à Presidência, apesar da nomeação oficial ser feita apenas em setembro na convenção nacional do partido. O republicano McCain, 71, já começa a procurar possíveis candidatos à vice-presidência.
O senador republicano, veterano do Vietnã, enfatizou durante sua campanha a política externa e suas credenciais para tratar da segurança nacional. São estes os assuntos que voltaram a guiar as falas dos pré-candidatos democratas, na tentativa de provar quem será o democrata capaz de vencer John McCain e chegar à Casa Branca.
Mesmo após as importantes vitórias de Hillary Clinton nas primárias de Ohio, Texas e Rhode Island, Obama segue na liderança. De acordo com a última contagem de delegados da rede CNN, Obama conta com 1.520 delegados, enquanto Clinton tem 1.424. Para alcançar a nomeação democrática, o candidato deve reunir em torno de 2.025 delegados.
Entretanto Hillary aproveita o bom momento para explorar o tema da economia como ponto de virada na corrida. “O senador Obama perdeu Ohio e o Texas porque os eleitores têm dúvidas sobre suas habilidades para promover a economia”, afirma uma nota divulgada pela equipe de campanha de Hillary na última quinta-feira.

Batalha na
Pensilvânia

Para conseguir a nomeação, os dois senadores precisarão de conquistas substanciais na maior parte das votações restantes. Caso contrário, a batalha será resolvida pelos cerca de 800 superdelegados na convenção nacional do partido, em agosto.
A próxima grande primária democrata acontece no dia 22 de abril, na Pensilvânia, com a escolha de 158 delegados. Antes ainda serão realizados os pleitos em Wyoming, neste sábado, dia 8, e Mississipi, no dia 11, porém somente 58 representantes sairão desses dois Estados.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email