Flagrante de crime eleitoral leva 49 candidatos à prisão, avalia TSE

Pelo menos 49 candidatos foram presos em flagrante ontem sob acusação de crime eleitoral

Pelo menos 49 candidatos foram presos em flagrante ontem sob acusação de crime eleitoral. Os TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) informaram ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) outras 251 ocorrências de irregularidade envolvendo candidatos.
Entre os políticos detidos está o candidato a deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), filho do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. Ele foi acusado de boca de urna.
Segundo o presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, as demais prisões referem-se a transporte ilegal de eleitores, propaganda irregular, compra de votos e, principalmente, boca de urna.

Outros presos

De acordo com os dados, outras 1.089 pessoas – todas não-candidatas – foram presas e outras 1.672 se envolveram em problemas, mas não foram detidas.
O presidente do TSE afirmou que três pessoas morreram de causa natural enquanto votavam – na Paraíba -, em São Paulo e em Alagoas.
Das 420 mil urnas eletrônicas, apenas 2.244 tiveram que ser substituídas, 0,56% do total.
No Estado de São Paulo, de acordo com levantamento realizado pela Polícia Militar, ocorreram 216 casos de boca de urna, distribuição de panfletos, desacato a servidor público, desacato a mesário e também de transporte irregular de eleitores.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email