Fim de incentivos reduz expectiva de crédito

A retirada dos estímulos fiscais do governo para aquisições de eletroeletrônicos e automóveis –recentemente confirmadas pelo governo– e as expectativas de elevação da taxa básica de juros fizeram o indicador da Serasa Experian, que avalia a perspectiva de crédito para os consumidores, registrar sua terceira queda consecutiva em dezembro.

O índice recuou 1,2%, chegando a 103,9. Foi a terceira queda mensal consecutiva deste indicador, sinalizando que o ritmo de concessões de crédito às pessoas físicas entrará em rota de desaceleração durante o primeiro semestre de 2010, especialmente ao longo do segundo trimestre.

A Serasa cita ainda a alta do dólar e o aumento do endividamento dos consumidores, que responderam favoravelmente ao pacote de incentivos fiscais, entre os fatores que deverão imprimir um menor ritmo ao crescimento do crédito aos consumidores nestes próximos meses.

Mesmo assim, o indicador permanece acima do nível 100, atestando que esta desaceleração das concessões de crédito para as pessoas físicas se dará de uma forma bastante gradual.

Trajetória de normalização

No caso das empresas, o índice da Serasa também caiu em dezembro, chegando a 99,6 (-0,6%). A oscilação deste indicador ao redor do nível 100 confirma a trajetória de normalização das condições de crédito às empresas, o que de fato vem ocorrendo ao longo destes últimos meses.

A Serasa ressalta, porém, que o fato deste indicador não estar ultrapassando o nível 100, apesar do bom momento em termos de ritmo de crescimento econômico, reflete que boa parte da demanda de crédito das empresas continua sendo suprida com recursos direcionados, especialmente através de operações de repasse de recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). “Estas, segundo dados divulgado pelo Banco Central, cresceram 20,5% em 2009 ao passo que o saldo das operações de crédito com recursos livres às empresas avançou apenas 1,2% no ano passado”, acrescentou a Serasa Experian, em texto distribuído à imprensa.

O objetivo dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva é antever, num horizonte de seis meses, em que fase do ciclo estarão as seguintes variáveis econômicas: (a) atividade econômica, (b) concessões reais de crédito ao consumidor, (c) concessões reais de crédito às empresas, (d) inadimplência do consumidor e (e) inadimplência das empresas. Em geral, as variáveis econômicas apresentam ciclos compostos por quatro fases distintas: (1) expansão, (2) reversão, (3) crise e (4) recuperação. Os Indicadores Serasa Experian de Perspectiva mostrarão, justamente, a posição cíclica, para os próximos seis meses, de cada uma destas variáveis.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email