Fieam inaugura novo laboratório

Objetivo é subsidiar o setor produtivo com infraestrutura para capacitação profissional

“A inauguração do Laboratório de Caldeiraria e Soldas ‘Agostinho Freitas’ sela mais um investimento da Fieam em prol do fortalecimento da indústria amazonense, subsidiando o setor produtivo com infraestrutura para capacitação profissional de seus trabalhadores”. Assim, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas, Antonio Silva, anunciou a entrega, na última sexta-feira (1º), das novas instalações de ensino/aprendizagem do Senai Amazonas, no Distrito Industrial, na zona Sul.
Batizado em homenagem ao empresário Agostinho Freitas, fundador do Sindicato das Indústrias de Instalações Elétricas, Gás, Hidráulicas e Sanitárias de Manaus, morto em 2009, o Laboratório de Caldeiraria e Soldas foi inaugurado junto com as áreas reformadas e ampliadas das Escolas Senai ‘Antônio Simões’ e de Ações Móveis e Comunitárias, ambas localizadas no Distrito Industrial, como parte da comemoração pelos 54 anos da Fieam, no último domingo (3).
“Nosso compromisso é desenvolver a indústria, garantindo os direitos da Zona Franca de Manaus e o acesso à formação profissional dos trabalhadores, eixo central do sucesso de tudo que aqui é produzido. O caminho para elevarmos a competitividade de nosso parque industrial é através da educação profissional ministrada pelo Senai Amazonas, por isso entregamos o Laboratório de Caldeiraria, a ampliação do Laboratório de Panificação e Confeitaria ‘Nestor Neves’, e a modernização de salas e espaços utilizados no aprendizado dos alunos do Senai”, disse Silva.
A solenidade contou com presença de autoridades, como o desembargador Aristóteles Lima Thury, do presidente do Tribunal Regional do Trabalho, David Alves de Mello Júnior, do secretário Municipal da Casa Civil, Lourenço Braga, convidados da indústria e familiares dos homenageados que emprestam seus nomes aos laboratórios modernos e equipados com alta tecnologia do Senai/AM.

Reconhecimento
Para Agostinho Freitas Júnior, filho do fundador e hoje presidente do Sindicato das Indústrias de Instalações Elétricas, Gás, Hidráulicas e Sanitárias de Manaus, a homenagem feita ao seu pai é um reconhecimento do trabalho exercido por ele. Júnior assumiu a presidência do sindicato com a morte pai, em 2009, dando continuidade a gestão de tornar o segmento mais competitivo, forte e unido.
“Precisamos de técnicos em nossas indústrias e este laboratório veio para contemplar a formação de caldeireiros no Amazonas, serviço com grande demanda profissional, devido à falta de cursos profissionalizantes neste segmento. Temos pessoal não especializado, uma mão de obra barata, mas que traz, com sua falta de conhecimento, desperdícios e acidentes, situações que a indústria evita, pois a competitividade está alinhada a uma produção de excelência. A lacuna existe, mas passa a ser atendida pela instituição de maior reconhecimento em capacitação profissional que é o Senai”, ressaltou Agostinho Jr.
Além de Agostinho Jr., a solenidade contou também com a presença da matriarca da família Freitas, dona Maria de Fátima, e dos outros dois filhos, Antônio e Arthur. A mulher do homenageado agradeceu o reconhecimento ao marido que durante 20 anos trabalhou pela indústria amazonense, lado a lado com a Fieam.
O Laboratório de Caldeiraria e Soldas tem capacidade para atender cerca de 900 alunos por ano. Os cursos oferecidos são de caldeiraria e montagem industrial, traçados de caldeiraria, tecnologia de caldeiraria, tecnologia da soldagem, soldador oxigás, soldador tig, soldador mag e soldador eletro revestido.
Panificação
A modernização e ampliação do Laboratório de Panificação e Confeitaria Nestor Neves resultará num acréscimo de atendimento à indústria de 41%. Serão cerca de 600 alunos por ano formados em diversas ocupações do segmento, dentre eles padeiro, confeiteiro, cozinheiro doméstico, salgadeiro, pizzaiolo e masseiro.
Segundo o presidente do Sindpam (Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Amazonas), Carlos Alberto Azevedo, 14 mil colaboradores atuam no segmento de panificação no Amazonas, incluindo administrativos, atendentes, padeiros e confeiteiros, em 1.300 empresas.
“Com a ampliação do laboratório do Senai, o setor ganhará novos profissionais com a formação adequada para exercer bons serviços no setor de panificação. A instituição vem nos ajudando nesta formação que é muito importante para a segurança e satisfação de nossos clientes”, declarou o presidente do Sindpam.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email