FIEAM festeja com otimismo seu 55º aniversário

Sempre fiel à luta pelo fortalecimento da indústria do Amazonas e já consolidada como legítimo canal de reivindicações dos interesses coletivos regionais, a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) completa na próxima segunda-feira (3) 55 anos de fundação. Para seu presidente, Antonio Silva, nesse período, a instituição aperfeiçoou o seu papel na defesa dos interesses do segmento que representa, contribuindo para o seu desenvolvimento em condições sustentáveis, sob os aspectos econômicos, sociais, políticos, culturais e ambientais.
Mesmo com o recuo de 9,8% no faturamento do Polo Industrial de Manaus (PIM), nos cinco primeiros meses do ano, com relação ao mesmo período de 2014, Antonio Silva diz que a FIEAM tem motivos para comemorar seu 55º aniversário e ainda acreditar numa retomada do crescimento em curto prazo. “A crise que se abateu sobre a economia brasileira é a maior causa dessa retração no desempenho do PIM. Como sabemos, a maior parte da nossa produção é destinada ao mercado nacional. Mas, vamos superar essa crise logo”, disse Silva.
Fundada em 3 de agosto de 1960, a FIEAM, no início, reunia segmentos industriais que formavam o perfil da economia amazonense nos anos pré-Zona Franca de Manaus, ainda muito ligados ao beneficiamento de produtos do extrativismo, como borracha, castanha, guaraná e madeira, além das indústrias de alimentos, bebidas e vestuário.
Segundo Antonio Silva, o fundador e primeiro presidente da organização foi um autêntico representante do extrativismo na Amazônia, o empresário Abrahão Sabbá, de tradicional família de empreendedores da região, com atividades que iam da exploração de petróleo ao beneficiamento da juta. “A FIEAM nasceu em meio a mudanças profundas no cenário industrial do Amazonas. A economia regional girava em torno da extração de borracha, da castanha e da produção de petróleo. Os sindicatos mais fortes cobriam ainda os ramos de bebidas, panificação, serrarias e calçados”, conta Antonio Silva, que na FIEAM representa, como presidente, o Sindicato das Indústrias Químicas e Farmacêuticas de Manaus.
O grande homenageado na comemoração dos 55 anos da FIEAM será o empresário Moyses Benarrós Israel, que acompanha desde o início a história da Federação. Como membro-fundador, assumiu a 1ª vice-presidência na Diretoria Provisória, que vigorou de agosto de 1960 a setembro de 1961, e hoje, aos 91 anos, responde pela presidência do Conselho Fiscal da instituição.
De acordo com Antonio Silva, a FIEAM tornou-se a principal interlocutora do setor produtivo amazonense, ao lado da ACA, do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Fecomércio e Federação da Agricultura. Ele lembra que o trabalho dessas instituições foi fundamental na luta pela prorrogação dos incentivos fiscais da Zona Franca de Manaus, hoje em vigor até 2073.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email