FGV – Confiança do comércio tem a pior

A queda de 6,8% no Icom (Índice de Confiança do Comércio) no quarto trimestre do ano passado foi o pior resultado do indicador desde maio de 2011, início da série trimestral do índice. Em comunicado, a FGV (Fundação Getúlio Vargas), que realiza a pesquisa em parceria com o BC (Banco Central), reiterou pela segunda vez consecutiva que o desempenho confirma momento de desaceleração no comércio.
As empresas do setor tornaram-se menos otimistas quanto à expectativa de vendas para os próximos meses. Das 1.244 empresas pesquisadas, a parcela de entrevistadas que aguardam melhora nas vendas nos próximos três meses caiu de 60,7% para 56,2% de novembro para dezembro. Já a fatia das que esperam piora cresceu de 6,7% para 10,1%.
No trimestre encerrado em novembro, em relação ao mesmo trimestre de 2010, a queda havia sido de 4,5%. De acordo com a FGV, o resultado é o pior da série histórica, iniciada em maio de 2011, e os números confirmam “o momento de desaceleração da atividade do setor”.
De acordo com a FGV, a percepção do setor em relação ao momento atual piorou na comparação com igual período do ano passado. O ISA-COM (Índice de Situação Atual) registrou queda de 9,7%, a maior desde maio. Em novembro, houve queda de 6,5%.
Na média do trimestre finalizado em dezembro, 26,7% das empresas consultadas avaliaram a demanda atual como forte, menos do que as 31% que tiveram essa percepção no mesmo período de 2010. Já 16,9% a consideraram fraca no último trimestre de 2011, parcela maior do que o observado um ano antes, que atingiu 9,5% dos negócios.
O estudo também revela que a percepção das empresas do setor em relação aos meses seguintes se tornou menos favorável. O IE-COM (Índice de Expectativas) caiu 4,6% em dezembro na comparação com o ano anterior. Em novembro, a queda havia sido de 3%. Entre os quesitos que compõem o IE-COM, as vendas nos três meses seguintes foi o que mais contribuiu para a redução do otimismo. Entre as empresas sondadas, 56,2% esperam melhora nas vendas e 10,1% piora, contra 60,7% e 6,7%, respectivamente, em 2010.
A Sondagem Conjuntural do Comércio é um monitoramento que antecipa tendências econômicas com bases em informações prestadas por empresas do setor. Para esta edição, os levantamentos foram feitos entre 1º e 23 de dezembro. Ao todo, foram ouvidas 1.244 empresas.
O Icom representa desempenho consolidado de cinco segmentos. Todos apresentaram queda de confiança em dezembro de 2011 contra dezembro de 2010; e no quarto trimestre do ano passado, contra igual período em 2010. Na evolução mensal, houve recuos em varejo restrito (-3%); veículos (-14,9%); material para construção (-0,3%); varejo ampliado (-4,5%) e atacado (-9,7%). No desempenho trimestral, houve quedas respectivas de -5,6%; de -13,9%; de -4,2%; de -6,7% e de -7% em cada um dos segmentos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email