9 de março de 2021

Festival de circo ‘Lona Aberta’ abre inscrições

Atenção astros e estrelas de circo, a Cacompanhia Artes Cênicas informa que já estão sendo aceitas as inscrições para a primeira edição do Festival de circo ‘Lona Aberta’, que vai acontecer entre os dias 10 e 14 de março, em Manaus, com a proposta de movimentar a cena circense na cidade. Podem participar artistas de todo o Brasil, maiores de 18 anos, com números de cinco a 20 minutos, nas diversas modalidades e temáticas.

“O Amazonas conta com um calendário anual de festivais. Temos o Festival de Teatro da Amazônia, Festival de Dança, Festival de Ópera, festivais de música, cinema, entre outros de diversos segmentos. Notei a ausência de um voltado para o circo, uma vez que o movimento vem crescendo nos últimos dez anos, com profissionais que saíram daqui e foram estudar fora, na Escola Nacional de Circo e na Eslipa (Escola Livre de Palhaços), que vêm formando uma geração de artistas nos últimos tempos”, falou Jean Palladino, diretor, ator e palhaço da Cacompanhia.

“A partir disso, em 2017, desenhei uma proposta e fui amadurecendo. Em 2019 participei de um festival muito conhecido no Norte, o ‘Festival de Circo de Taquaruçu’, um dos mais importantes do país. Lá pude amadurecer bem mais a proposta ao intercambiar com organizadores de festivais de outros estados e artistas circenses, conhecendo suas demandas e as necessidades técnicas para realização de um evento de grande porte”, contou.

No ano passado, contemplado no edital Prêmio Feliciano Lana, através da Lei Aldir Blanc, Jean pode concretizar seu sonho. O ‘Lona Aberta’, dependendo das condições da pandemia, será presencial.

“Mas caso nossa cidade ainda sofra com a alta de contaminação, ou adiamos ou teremos que realizar em formato virtual. Estamos precavidos com ambas as soluções. Mas a ideia é que o festival, nas suas próximas edições, seja presencial”, adiantou.

Como ser um artista

Jean Palladino iniciou sua aventura no circo, como palhaço, muito embora tenha começado no teatro. Agora tem se aproximado do circo contemporâneo, cuja cobertura de lona fica para segundo plano. O que importa é o artista.

“Minhas experiências circenses vêm do projeto ‘Roda na Praça’, de Ana Oliveira, que reúne os artistas circenses da cidade em um grande show de variedades e assim fui me aproximando mais desta arte”, lembrou.

O ‘Lona Aberta’, como o nome já diz, é aberto para qualquer artista, mesmo que iniciante, para números das mais variadas modalidades, desde que este traga em si uma proposta única de entrega e realize seu trabalho com muita dedicação e coragem, “pois o circo exige coragem, então esperamos artistas que estejam com desejo de apresentar seus trabalhos, independente da sua experiência”, garantiu.

Jean revelou que Manaus possui muitos artistas circenses mas, com pouco espaço para desenvolver suas modalidades, parecem ‘invisíveis’.

“Realmente os artistas circenses mais vistos em Manaus são os palhaços e os mágicos, mas existe um movimento muito forte de acrobatas de solo e aéreos, assim como alguns pirofagistas e malabaristas que estão atuando fortemente em projetos independentes, na rua e em outros segmentos como teatro e dança. Com o Festival, pretendemos que eles apareçam mais”, contou.

Para participar do ‘Lona Aberta’, basta acessar o site www.cacompanhia.com, ler o regulamento e preencher um formulário de cadastro, com informações sobre o número que deseja apresentar, portfólio, breve currículo, fotos e link para o vídeo, ficha técnica e uma descrição da proposta para análise da curadoria. O resultado, com 15 números selecionados, vai ser divulgado no dia 22 de janeiro.

Artistas confirmados

“Acho que muitas crianças que tiveram a oportunidade de prestigiar um circo, se encantaram ou pensaram em ser artistas circenses em algum momento. Essa vontade em mim sempre foi muito tímida, porque assim como em qualquer segmento das artes cênicas, eu achava que não seria possível aqui em Manaus, mas quando conheci artistas profissionais, vi que sim, eu poderia ser um artista circense, bastava eu me dedicar”, relembrou.

Jean ensinou o passo a passo para quem deseja se tornar um artista de circo: primeiro é necessário ir a um circo que esteja na cidade e sentir um impacto por alguma das atrações. Depois deve-se procurar uma companhia que trabalhe com aquela linguagem. Em Manaus existem academias e artistas que ministram cursos e oficinas livres.

“Devido ao seu alto custo, o circo, hoje, está em diversos lugares, então muitas companhias trabalham com modalidades específicas, como palhaçaria, acrobacias de solo e aéreas, malabares e pirofagia. Em Manaus o mercado ainda é escasso e, se quisermos nos profissionalizar, precisamos recorrer a escolas fora daqui”, avisou.

O palhaço Tomate virá diretamente de Buenos Aires

Já estão confirmados para o ‘Lona Aberta’: o palhaço Tomate, diretamente de Buenos Aires; a Cia. Nós no Bambu, de Brasília, conhecida pelos seus trabalhos de acrobacia com estruturas artesanais de bambu; a cineasta e palhaça Mariana Gabriel, neta da primeira palhaça negra do Brasil, que exibirá o documentário ‘Minha avó era palhaço’; a Cia. Fundo Mundo, formada exclusivamente por transgêneros, travestis e não-binários, com o espetáculo ‘Sui Generis’; o Circo di SóLadies, formado por palhaças, que apresentarão o ‘Estupendo Circo di Soladies’; e a artista Jayne Kira, de Manaus, que realizará trabalhos com tecido acrobático.

Mariana Gabriel observa a avó no documentário ‘Minha avó era palhaço’

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email