Fernando Collor ficará seis meses fora

O senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL) vai pedir licença do cargo na próxima semana e ficará fora do Senado até o fim do ano. Em seu lugar, entrará seu primo e suplente Euclides Mello, do mesmo partido.
Segundo a assessoria do senador, o motivo da ausência é para atender aos “inúmeros convites” que recebeu desde que assumiu no Senado para ministrar palestras em todo o país sobre reforma política e meio ambiente. O ex-presidente é favorável ao parlamentarismo e já apresentou proposta de emenda à Constituição para instituir o sistema no Brasil. Collor acredita que a alteração pode evitar crises políticas provocadas pela centralização do comando do país no presidente da República.
Desde que voltou a Brasília, em fevereiro, o senador também procurou discutir assuntos voltados à questão ambiental. Das sete comissões das quais participa no Senado, três estão ligadas ao meio ambiente. Além disso, é um dos críticos à produção do álcool combustível, pois acredita que expansão da plantação da cana-de-açúcar pode comprometer a produção de alimentos.
Collor retornou neste ano ao Congresso -14 anos depois de renunciar à Presidência da República em meio ao processo de impeachment aprovado pelos parlamentares. Em seu primeiro dia como senador, Collor disse que o “sofrimento dos últimos anos” o fez amadurecer para voltar à cena política nacional. Durante a licença, deverá organizar o PTB em Alagoas para as as eleições municipais de 2008.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email