Férias coletivas para 25 mil

Cerca de 25 mil trabalhadores do PIM (Polo Industrial de Manaus) devem sair em regime de férias coletivas a partir do próximo dia 16, segundo dados do Sindmetal (Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas). O presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Antonio Silva, admite que o recesso é resultado de uma somatória entre o desaquecimento da economia e a realização da Copa do Mundo no país.
De acordo com Silva, as empresas se preparam para o período dos jogos do Mundial e produziram um estoque que vai suprir a demanda até o retorno das atividades. Ele também disse que o recesso não acarretará perdas às fabricantes. “É claro que se as vendas estivessem em alta estudaríamos formas de não parar a produção. Mas como vivenciamos um momento de poucas comercializações não há motivos para não liberar os trabalhadores um pouco mais cedo, neste ano”, explicou. “Não teremos prejuízos”, completou.
Silva também afirmou que algumas empresas vão recompor os dias de folga por meio do sistema de compensação em dias e horários a serem definidos por cada gestor. “Isso é uma questão administrativa”, disse. Conforme os indicadores da Zona Franca de Manaus, a estimativa de 25 mil profissionais representa cerca de 20% dos trabalhadores do PIM.
Segundo o presidente do Sindimetal, Valdemir Santana, até a tarde desta terça-feira (3) mais de 20 indústrias comunicaram a ocorrência das férias coletivas. Mas ele acredita que até sexta-feira (6) esse número deve aumentar. Fazem parte desta lista nomes como: Moto Honda da Amazônia, Yamaha, Samsung, Semp Toshiba, Panasonic, Sony, entre outros. “No total cerca de 25 mil trabalhadores ficarão em casa por um período médio de dez dias. Vale ressaltar que todas empregadoras se programaram para esses dias”, informou.

Indústrias
A direção da Semp Toshiba informou que o mercado econômico considerado ‘morno’ contribuiu para a decisão de conceder férias coletivas aos funcionários. “Em razão da Copa no Brasil e dos jogos em Manaus, entendemos que a antecipação das férias coletivas, que geralmente ocorrem no final do ano, seria o melhor caminho”, disse o diretor industrial da Semp Toshiba, Paulo Sandrini.
Segundo Sandrini, o setor de eletroeletrônicos previa vendas melhores neste período.
“Certamente houve uma produção excessiva em relação à demanda. Comprou-se menos produtos do que se estava projetando”, afirmou.
Ao todo, 800 funcionários da linha de produção sairão em férias nos próximos dias.
A Sony confirmou que também estuda optar pelo recesso. Já a Yamaha diz que as férias geralmente ocorrem no final do ano, mas, por conta do Mundial, resolveu antecipá-las. A Samsung confirmou apenas que, durante a Copa, haverá férias coletivas para parte dos funcionários.

Expectativa de vendas pode ser frustrada
Em opinião contrária ao que disse que o diretor industrial da Semp Toshiba, Paulo Sandrini, o presidente da Fieam, Antonio Silva, disse que o único segmento que atualmente apresenta bons índices de vendas é o de eletroeletrônicos, especificamente com a oferta de aparelhos televisores. Ele foi enfático ao dizer que não aposta no crescimento do setor industrial no período posterior à Copa. “Sentimos o efeito da desaceleração da indústria durante o primeiro semestre. Com isso, acredito que teremos uma baixa de 1,5% na produção após os jogos”, avaliou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email