Feira do Empreendedor no DF bate recorde e gera mais de R$ 21 mi

A Feira do Empreendedor superou as expectativas do Sebrae na edição de 2009. Para aqueles que desejavam abrir uma micro ou pequena empresa, ou mesmo ampliar uma já existente, a feira apresentou até o último domingo oportunidades de negócios nas áreas de indústria, agronegócios, comércio e serviços. O volume de negócios gerados durante as rodadas superou as expectativas do Sebrae em Brasília (DF). No total, foram R$ 21.557.829 nos cinco dias de evento. Segundo a diretora do Sebrae no Distrito Federal, Maria Eulália Franco, esse foi um volume recorde no local.
“Esse número é uma resposta à participação das trades nas rodadas e ao grande interesse das pequenas empresas em colocar o seu produto no exterior. O grande volume que foi gerado mostra que os produtos das pequenas empresas do DF estão de acordo com o mercado e que elas estão preparadas para exportar”, afirmou. Maria Eulália também disse acreditar que esse valor é fundamental para estimular outros empresários a buscar diferentes caminhos para a divulgação de seu produto, inclusive fora do país.
No total, 25.254 pessoas compareceram ao Centro de Convenções Ulysses Guimarães para prestigiar a Feira do Empreendedor 2009. Dessas, 7.886 participaram do programa de capacitação, que teve início na última segunda-feira, antes mesmo da abertura oficial do evento. Temas diversificados foram abordados nos cursos, oficinas, palestras, seminários e sessões de cinema oferecidos.
Entre os focos, vantagens de formalizar o Empreendedor Individual, sugestões para a expansão dos negócios de uma empresa e como deixar os produtos mais atraentes para o público, além de dicas de culinária, oferecidas nas oficinas de gastronomia.

Sustentabilidade e acessibilidade

Para colocar em prática os conceitos nos quais se basearam a feira, todo o evento foi montado com material reciclado, a exemplo das divisórias em tetrapac, tetos de papelão nos estandes e lixeiras de papelão reaproveitado. Além disso, o centro de convenções foi todo adaptado com rampas de acesso e corredores largos entre os estandes para comportar cadeiras de rodas.
Diversos espaços possuem, ainda, ferramentas para facilitar o acesso, como computadores com fone de ouvido para pessoas com deficiência visual. Intérpretes de libras e vasos de plantas próximos às placas de sinalização também ajudavam a criar um ambiente favorável para pessoas com qualquer tipo de deficiência.
Para realizar as ações, o Sebrae no DF contou com a parceria do Icep Brasil (Instituto Cultural, Educacional e Profissionalizante de Pessoas com Deficiência do Brasil). O presidente do Icep, Sueide Miranda, lembrou a importância da iniciativa da feira e afirmou que “a mais importante ação do evento foi mostrar a inclusão na prática, contratando pessoas com deficiência para o atendimento aos visitantes”.
O impacto causado ao meio ambiente com a movimentação também foi uma das preocupações do Sebrae – toda a emissão de carbono do evento será neutralizada com plantação de árvores.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email