FED injeta mais US$ 5,2 bilhões no mercado para evitar falta de liquidez

O total das intervenções do Fed desde o último dia 9 já passa de US$ 137 bilhões. A ação de hoje foi a terceira do Fed nesta semana -ontem o banco já havia disponibilizado US$ 2 bilhões e, na segunda-feira, outros US$ 9,5 bilhões (só nesta semana já foram liberados em operações de curto prazo pelo Fed US$ 16,7 bilhões).
O Fed passou a intervir no mercado com injeções de recursos devido ao aumento do temor de que pudesse haver uma corrida aos bancos para saques de clientes com os desdobramentos da crise causada pela inadimplência nas hipotecas de risco no país.
A atual onda de incerteza no mercado financeiro teve início no último dia 9, quando o banco francês BNP Paribas congelou os resgates em três fundos alegando dificuldade de calcular a exposição desses fundos a investimentos ligados a essas hipotecas de risco.
As injeções de recursos do Fed, no entanto, têm tido pouco efeito para restaurar a confiança dos investidores nos mercados de crédito.
A medida que teve efeito mais significativo até o momento foi a redução da taxa de redesconto (usada pelo Fed para conceder empréstimos de curto prazo a instituições com escassez temporária de liquidez causada por problemas internos ou externos) feita no dia 17.
O que os investidores esperam, no entanto, é um corte na a taxa básica de juros do Fed, a dos fundos federais (a principal da política monetária americana e que tem efeito direto sobre o setor produtivo), que foi mantida em 5,25% ao ano.
Anteontem, o Fed divulgou a ata da reunião realizada no último dia 7. No documento, o banco informou que “uma nova deterioração nas condições financeiras não pode ser descartada e, na medida em que um tal desenvolvimento pode ter um efeito adverso nas perspectivas de crescimento, isso pode exigir uma resposta”. A resposta, no entanto, não foi especificada.
O número de solicitações de hipotecas para comprar uma casa tramitado nos Estados Unidos caiu 4% na semana passada em relação à anterior, segundo dados divulgados quarta-feira pela The Mortgage Bankers Association of America.
O índice que mede o volume de pedidos de hipotecas caiu a 615,2 pontos, dos 641,1 pontos da semana anterior.O indicador que mede o número de solicitações de empréstimos para refinanciar uma hipoteca já concedida caiu 4,2% no mesmo período, a 1.729,6 pontos.
Os dados são divulgados em um momento em que persiste o temor de que a falta de confiança no sistema de crédito nos EUA, atingido por falta de liquidez (oferta de dinheiro), se estenda ao setor financeiro e afete o crescimento econômico.
A Mortgage Bankers Association realiza a cada semana, desde 1990, uma pesquisa sobre o número de solicitações de hipotecas tramitadas, que constitui uma referência da situação pela qual passa esse mercado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email