4 de março de 2021

O delivery tem sido a salvação para quem não pode, ou não quer, sair de casa por conta da pandemia. Por isso a Onisafra, plataforma que conecta o consumidor a produtores regionais, feirantes de frutas e legumes e empresas de alimentos artesanais, tem visto sua demanda aumentar desde o começo da pandemia, agora com uma linha só de orgânicos.

“O objetivo inicial da Onisafra foi solucionar os problemas que os produtores rurais da Região Metropolitana tinham para comercializar seus produtos em Manaus. Tão perto da capital e ao mesmo tempo com muitas dificuldades logísticas para vender seus produtos aqui”, falou Macaulay Souza de Abreu, fundador e CEO da Onisafra.

A ideia da plataforma surgiu quando Macaulay ainda cursava a faculdade de agronomia. Na época ele tinha um amigo que produzia bananas, mas não encontrava uma maneira viável de colocá-las no grande mercado consumidor de Manaus.

“Então fiquei pensando em como resolver aquele problema, que não era só do meu amigo, mas de vários outros produtores do setor primário. A ideia evoluiu. Em 2019 criei a estrutura da empresa, a Onisafra, para rastrear produtores e depois distribuir e comercializar seus produtos. Testei diversos modelos de negócios para expandir a empresa, hoje transformada numa plataforma de feiras digitais, que conecta grupos de agricultores com consumidores”, explicou.

Atualmente a plataforma da Onisafra se divide em Atacadão das Frutas (com frutas, verduras, farinhas, goma de tapioca e condimentos); Encontro de Sabores (linguiças artesanais, geléias, bacon, filé suíno defumado, lombo de pirarucu defumado); Canto da Luz (sabonetes e cremes, feitos de copaíba e andiroba), Dona Marlene (castanha, amendoim, castanha de caju); e Feira de Orgânicos (frutas e verduras orgânicas).

Plataforma ajuda o consumidor a ter acesso mais fácil a frutas, verduras, legumes e outros alimentos artesanais. Foto: Divulgação

Público jovem

“Hoje temos essas cinco feiras e uma infinidade de feirantes. Denominamos assim todos os que vendem seus produtos na plataforma. Já temos um banco de dados de produtores rurais, feirantes urbanos, empresas de hortifruti, pescado e alimentos artesanais e estamos abertos a agregar mais interessados. A única exigência mínima, que pedimos, para quem é da Região Metropolitana, é que tenha uma logística para trazer o produto até Manaus. Aqui a Onisafra se encarrega de separar, organizar as cestas com os produtos e distribuir para o consumidor”, disse.

Macaulay pretende, até o final deste semestre, atingir dez feiras. Antes da pandemia a plataforma chegou a trabalhar com 30 agricultores rurais, hoje reduzidos a dez, mas o empreendedor acredita que quando a situação voltar a se normalizar, esses agricultores retornarão.

“Nosso público é um público jovem, que prefere esse sistema de delivery, ao contrário dos mais antigos, acostumados a ir presencialmente às feiras. São solteiros e casais que, agora com a quarentena, fizeram nossas vendas aumentarem”, revelou.

Uma das feiras que tem feito mais sucesso ultimamente, na Onisafra, é a Feira de Orgânicos.

“Seguindo a onda dos alimentos saudáveis, os orgânicos têm tido muito sucesso nas vendas. Existem três classificações que caracterizam os orgânicos: primeiro precisam ser certificados por uma certificadora oficial; ou serem reconhecidos pelo Sistema Participativo de Garantia, conseguido por grupo de pessoas de instituições que garantem serem orgânicos tais produtos; e terceiro o documento de uma Organização de Controle Social, dado por produtores organizados que controlam sua produção junto ao Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento)”, informou.

30 toneladas doadas

Para fortalecer ainda mais sua Feira de Orgânicos, Macaulay fechou parceria com a Rede Maniva de Agroecologia, movimento social que une agricultores e organizações no fomento à agroecologia no Amazonas, e com as Feiras de Produtos Regionais e Orgânicos, organizadas pela ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas), que possuem selo e certificação.

“Nós não somos uma plataforma que compra produtos de produtores rurais e os revende em Manaus. Somos uma plataforma de conexão. Nossa operação é toda dentro de Manaus. O que fazemos é facilitar o comércio entre feirantes e consumidores”, esclareceu.

“O consumidor acessa nosso site, visita as feiras onde estão as fotos e preços de todos os produtos, faz a compra, se preferir, paga com cartão de crédito, e os recebe em casa. As compras podem ser avulsas. O consumidor visita as cinco feiras, escolhe os produtos que deseja e monta a sua cesta, ou se desejar, faz uma cesta fixa de frutas e legumes aí recebe, de acordo como escolher, toda semana ou de 15 em 15 dias. Quem tiver dificuldades para efetuar a compra, temos um suporte para auxiliar nessa questão”, informou.

Agora, com a pandemia, Macaulay criou uma sexta feira, o Mercado Solidário, onde o consumidor pode doar cestas de alimentos.

“Conseguimos, até agora, 30 toneladas de alimentos, doados para famílias em vulnerabilidade social”, concluiu.

Foto destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email