Faturamento do e-commerce do Norte cresce em agosto

Após ocupar o terceiro lugar em relação às vendas por região, com índices positivos de 24,39% no faturamento nos sete primeiros meses do ano, o comércio eletrônico da região Norte fechou as receitas de agosto com alta de 14,97%, em comparação a igual período do ano passado. No entanto, apesar dos números positivos, ficou em último lugar na base de rendimentos regional. Os números fazem parte do do índice MCC-ENET, levantamento desenvolvido pela Neotrust | Movimento Compre & Confie em parceria com o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net).

Na análise do responsável pela Divisão de Varejo Online da camara-e.net, Gastão Mattos, em 2020, houve um longo período de confinamento com comércios físicos fechados, alavancando as vendas pelo comércio eletrônico. “Crescer de forma expressiva sobre esta base de referência, agora com o comércio físico quase em operação de normalidade é um sinal de que as vendas remotas chegaram a um novo patamar na preferência do consumidor brasileiro”. 

Para o especialista em  e-commerce, André Botelho, é importante citar que os dados de sites como Mercado Livre, OLX e Webmotors não estão contemplados na pesquisa. Só o Mercado Livre possui 35% de market share. Ainda assim, o comércio eletrônico demonstra um crescimento expressivo, mesmo que as operações das lojas físicas estejam quase em sua normalidade. “Com datas sazonais muito importantes como Dia das Crianças, Black Friday e Natal, os próximos meses serão decisivos para consolidar esse crescimento experimentado e termos um novo patamar de preferência para compras nos canais digitais”. 

Ou seja, mesmo que as lojas físicas demonstrem retomada, não significa perda de força no segmento de compras pela internet. “Tanto essa pesquisa, como outras que têm saído demonstram esse crescimento. Isso nos leva a concluir que estamos prestes a chegar em um novo momento comportamental da sociedade quanto às suas compras. Particularmente, apesar de atuar fortemente no digital, prefiro esperar os próximos meses que serão decisivos para demonstrar esse novo comportamento padrão”. 

André Botelho diz que apesar das pesquisas que têm acesso divulgarem  apenas dados por região, ele enfatiza que o crescimento do setor é evidente. “Nós temos  clientes no setor nesse setor e conseguimos ter um parâmetro. Assisti uma palestra semana passada sobre a Bemol. Eles têm experimentado esse crescimento. Diariamente são cerca de 3 mil  pedidos de venda, sendo 40% por meio do e-commerce. E isso não diminuiu, mesmo depois da reabertura das lojas”, assegura ele citando ainda que a varejista TV Lar é outra que vem demonstrando dinamismo nesse mercado. “Eles lançaram a primeira iniciativa de live e-commerce da região esse mês”, cita ele. 

Vendas online no Norte

Na métrica de vendas por e-commerce, considerando a comparação entre agosto e julho, o Norte registrou alta de 5,46% e, nesse caso, ficou na liderança por região. Na sequência, apareceram: Sul (3,73%); Centro-Oeste (1,75%); Sudeste (1,72%); e Nordeste (-2,68%).

No acumulado, por região, a configuração ficou da seguinte forma: Centro-Oeste (35,42%); Nordeste (31,58%); Norte (29,85%); Sul (22,67%) e Sudeste (11,18%).

Faturamento do Norte

Na comparação regional, observando os dados do faturamento na comparação entre agosto e julho, o Norte teve alta de 7,10%, ocupando o primeiro lugar novamente. Na sequência ficaram: Sul (4,42%); Centro-Oeste (4,16%); Sudeste (3,15%); e Nordeste (−1,65%).

No acumulado do ano, os dados foram: Centro-Oeste (40,80%); Nordeste (38,51%); Sul (34,46%); Norte (31,27%); e Sudeste (20,75%).

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email