Farmácias e itens de lar crescem

A pandemia de Covid-19 e a necessidade de isolamento social impulsionaram o e-commerce de um modo geral. Entretanto, dois segmentos estão se destacando com crescimento contínuo nas vendas online desde março: farmácias e itens de utilidade doméstica, segundo levantamento é da empresa de tecnologia Wevo.

Em maio, o setor farmacêutico, por exemplo, registrou crescimento de 21% na comparação com abril, de 55% em relação à março e de 146% em fevereiro. É o ponto alto de uma evolução nas vendas digitais que começou em março, logo após o início das medidas de prevenção contra o novo coronavírus.

Naquele mês, o segmento já havia crescido 59% em relação a fevereiro — último antes da pandemia. Em abril, o aumento continuou, com 28% a mais em relação a março e 103% em fevereiro – ou seja, as vendas digitais das farmácias praticamente dobraram em 60 dias.

Vendas para o lar

Já o segmento de itens para casa, também está escalando as vendas pela internet. Em maio, cresceu 39% na comparação com abril, 74% em relação a março e 97% em fevereiro. Isto é, as vendas neste canal dobraram em um período de três meses.

No mês de abril, o crescimento já era alto, com 25% a mais em relação a março e 42% superior a fevereiro. Março, por sua vez, já teve alta de 13% nas vendas online na comparação com o segundo mês do ano.

“Os dados reforçam que os dois setores são os que melhor se adaptaram às vendas digitais durante a pandemia. O farmacêutico pela necessidade, uma vez que a situação exige maior cuidado com saúde e higiene. O de eletroeletrônicos, por sua vez, já vinha com o canal online mais estruturado”, explica Diogo Lupinari, CEO e cofundador da Wevo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email