Fapeam financiou a formação de 88 doutores

A única saída para o desenvolvimento do Brasil é investir em ciência, tecnologia, inovação e principalmente, na formação de capital intelectual

A única saída para o desenvolvimento do Brasil é investir em ciência, tecnologia, inovação e principalmente, na formação de capital intelectual. Foi o que enfatizou ontem o diretor-presidente da Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas), Odenildo Sena, durante a abertura da 6ª Semana Nacional de C&T (Ciência e Tecnologia), no Clube do Trabalhador do Sesi (Serviço Social da Indústria).
A edição deste ano reúne mais de 65 instituições de ciência e tecnologia, como UEA (Universidade do Estado do Amazonas), Sect (Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia), Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) e Fapeam -principal patrocinadora no Amazonas e cuja atuação no fomento à pesquisa foi destacada pelo vice-diretor do Inpa, Wanderli Tadei, durante a abertura.
Tadei ressaltou que a pesquisa no Amazonas “é marcada pelo período antes e depois da Fapeam, instituição que possibilitou grandes avanços no âmbito da pesquisa”.
Odenildo Sena pontuou que os resultados da Fapeam já podem ser percebidos quando consideramos que de sua criação -em 2003- até hoje, de um total de 330 bolsas de doutorado concedidas, 88 já foram finalizadas. Isto representa o número total de doutores já formados com fomento da fundação, sinalizando que o Amazonas está no mesmo patamar de estados com tradição na área de fomento à pesquisa do eixo Sul-Sudeste.
“Um evento como esse é significativo porque mostra que o Governo do Estado tem dado importância a essa área a partir da criação do sistema estadual de ciência e tecnologia e, particularmente, desse braço executor que é a Fapeam. A inauguração da nossa sede na próxima sexta-feira demonstra a compreensão de que não há outra saída para o Estado: é preciso investir pesado em ciência, tecnologia, inovação e, particularmente, na formação de capital intelectual”, enfatizou Sena.

Transmissão ao vivo

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia se estende até domingo, 25, e conta com 60 estandes montados na Estação Ciência, no Clube do Trabalhador do Sesi. A perspectiva dos organizadores é que 150 mil pessoas em todo o Amazonas participem das atividades. As palestras estão sendo transmitidas ao vivo para todos os municípios do Amazonas.
O secretário de Ciência e Tecnologia em exercício, Marcílio de Freitas, disse que uma das principais missões da Semana é mostrar para a sociedade que a ciência e a tecnologia “fazem parte de uma política social, pois tratam diretamente de tecnologias sociais, inovações na área da saúde, programas de gestão e forças produtivas”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email