16 de abril de 2021

Fábrica de trens instalada no Rio

A expectativa é que a fábrica monte 20 trens, com a perspectiva de também construir os veículos leves sobre trilhos

Uma fábrica provisória de trens da empresa francesa Alstom será construída em Deodoro, na zona oeste da capital fluminense. O custo da obra será R$ 300 milhões. No local serão montados 20 trens comprados pela concessionária Supervia e deve impulsionar a recuperação da indústria ferroviária no estado. A avaliação foi feita no início desta semana pelo secretário Estadual de Transportes, Julio Lopes.
“O Rio esperava há décadas a recuperação de sua indústria ferroviária. O estado já foi um dos maiores em fabricação e conservação de trens e tinha perdido essa condição”, disse Julio Lopes. A expectativa é que a fábrica monte os 20 trens, com a perspectiva de também construir os veículos leves sobre trilhos (VLTs), além de composições para o metrô para a capital fluminense.
A unidade fabril será instalada em um terreno da Supervia, de 32 mil metros quadrados, em Deodoro, com a previsão de gerar no primeiro semestre de 2013 cerca de 70 empregos diretos. Na etapa da construção dos trens, com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), serão 50 empregos diretos e 150 indiretos.
A antecipação da compra de 20 dos 80 novos carros previstos para serem entregues no período entre 2016 e 2020, na concessão que vai até 2048, está dentro da meta de investir no sistema R$ 2,4 bilhões no período, sendo, metade, contrapartida do governo estadual. O foco são eventos que o Rio receberá nos próximos anos, como a Copa do Mundo de 2014.
O presidente da Supervia, Carlos José Cunha, disse que, ao contrário de empresas chinesas que construíram os trens entregues este ano, a Alstom ofereceu ganho de tecnologia e tem duas fábricas no país, em São Paulo. “Os trens chineses que estão chegando são maravilhosos, mas temos dificuldade enorme de acompanhar a fabricação e a manutenção”, disse.
Durante o anúncio da compra dos trens, Lopes disse que a antecipação da compra não acarretará aumento do preço das passagens. “O que deverá ocorrer nas passagens, em um futuro próximo, é a mera correção prevista em contrato”, disse, sem informar o percentual.
No evento, Lopes também comentou o aumento de preços de R$ 5 bilhões para R$ 7,5 bilhões nas obras da Linha 4 do Metrô no Rio, entre a zona sul e a zona oeste, e disse que o reajuste reflete acréscimos no projeto original, como a inclusão da estação na Gávea, na zona sul.
Com foco na Copa do Mundo de 2014, o secretário anunciou para os próximos dias a licitação de uma estação de intermodal no Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã. “Vamos ter trem, metrô e ônibus integrados, em uma estação totalmente reformulada permitindo que os usuários tenham um outro padrão de conforto e mobilidade que será iniciado pelo Maracanã”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email