Extinção de empresas no Amazonas segue estagnada em agosto

A passagem de julho para agosto registrou uma virtual estagnação na mortalidade de empresas, no Amazonas, embora o ritmo de constituições de novas pessoas jurídicas tenha sofrido refluxo. Em ambos os casos, contudo, os números foram piores do que os do mesmo mês do ano passado – período em que a economia amazonense já começava a ensaiar retomada. Os dados estão no mais recente relatório do SRM (Sistema Mercantil de Registro) – vinculado ao Ministério da Economia – e foram  divulgados pela Jucea (Junta Comercial do Estado do Amazonas), nesta quinta (2).

O Estado registrou o encerramento das atividades de 301 pessoas jurídicas, no mês passado, configurando um leve recuo de 0,66%, na comparação com o desempenho de julho de 2021 (303), e um acréscimo de 38,71% sobre o patamar de agosto de 2020 (217). Já a abertura de novos empreendimentos (682) ficou 8,46% aquém da marca do mês passado (745), além de encolher 1,91%, no confronto com igual intervalo de 2020 (695). 

De acordo com o levantamento mensal da autarquia estadual, entre as 301 pessoas jurídicas amazonenses que formalizaram encerramento no mês passado, a maioria (202) estava na categoria de empresário individual – número maior do que os 184 de julho do mesmo ano. As sociedades empresariais limitadas (78) vieram na segunda posição, seguidas pelas empresas individuais de responsabilidade limitada (e de natureza empresarial), com 20 registros, e uma sociedade anônima fechada – contra 88, 30 e zero, respectivamente, no levantamento anterior.

O movimento em torno da formalização de abertura de novos negócios no Amazonas (682) voltou a priorizar também os empresários individuais (258), por um pequena margem sobre as sociedades empresariais limitadas (255). Na sequência, vieram as empresas individuais de responsabilidade limitada (167), uma cooperativa e uma sociedade anônima fechada. Em julho, os respectivos números foram 337, 235, 168, 3 e 1.

O saldo do acumulado dos oito meses iniciais deste ano se manteve positivo para o Amazonas. De janeiro a agosto de 2021, o Estado somou o registro de 5.574 novos empreendimentos, 35,42% a mais do que o dado apresentado em igual intervalo do exercício anterior (4.116). A mesma comparação indicou, no entanto, uma elevação de 6,40% nos registros de baixas de empresas locais, entre 2020 (1.936) e 2021 (2.060).

A Jucea ressalta que os dados citados não incluem os MEIs (microempreendedores individuais), que são constituídos de forma virtual, por meio do portal do Empreendedor, do governo federal. Nesse caso, os números de constituições decresceram 1,56%, entre julho (3.392) e agosto (3.339) de 2021, embora ainda tenham expandido 17,45%, na comparação com o dado de 12 meses antes (2.843). As extinções dispararam na variação mensal (de 526 para 746), e foram ainda mais ascendentes ante o mesmo mês de 2020 (384), com incrementos respectivos de 41,82% e de 94,27%.

A análise dos dados do acumulado de janeiro a agosto deste ano, no entanto, aponta um panorama igualmente menos promissor e ainda volátil para os microempreendedores individuais amazonenses, com tendência de maior rotatividade de pessoas jurídicas no mercado. O número de abertura de novos MEIs no Estado aumentou 21,46%, entre 2020 (21.171) e 2021 (25.714). Mas a quantidade de encerramentos manteve ritmo ainda maior, com 4.654 (2021) contra 3.321 (2020), o que configura um aumento de 40,24%. 

Serviços na frente

Em texto divulgado por sua assessoria de imprensa, a Junta Comercial do Estado do Amazonas informa ainda que a segmentação por CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) contabilizou, em agosto, 383 novos CNPJs no setor de serviços, 261 no comércio, e 24 na indústria. Manaus segue líder entre os municípios amazonenses com o maior número de constituições, totalizando 526 registros de novas empresas, no acumulado do ano. Em seguida, estão Manacapuru (15), Itacoatiara (13), Humaitá (12) e Parintins (11). 

A Junta Comercial informa ainda que segue trabalhando para reduzir cada vez mais o tempo médio para abertura de novas empresas no Amazonas. No mês de agosto, conforme dados da RedeSim-AM, o cidadão conseguiu constituir um novo empreendimento em 3 horas e 21 minutos. No mesmo texto, a presidente da Jucea, Maria de Jesus Lins, que os resultados de agosto são fruto da digitalização dos processos, algo que já vem sendo feito desde 2019, permitindo acelerar os processos de abertura e de encerramento de empresas.

“Por meio desses mais de 5.574 empresários que confiaram em nosso Estado para investirem, de janeiro a agosto deste ano, 1.458 a mais do que no mesmo período do ano passado, podemos ver que o trabalho do Governo do Amazonas, ao conceder linhas de crédito, ao modernizar e agilizar e desburocratizar a abertura de empresas, via Jucea 100% digital, traz grande retorno para a sociedade amazonense”, comemorou.

Empreendedorismo de ocasião

Em relação à primazia de Manaus na constituição de empresas, o conselheiro do Corecon-AM (Conselho Regional de Economia do Estado do Amazonas), professor universitário e consultor empresarial, Francisco de Assis Mourão Junior, lembra que a economia do Amazonas é movida pelo modelo ZFM. Na análise do economista, o PIM se encontra em um processo de recuperação “a pequenos passos”, à medida em que vai aumentando o número de pessoas vacinadas e as medidas de flexibilização vão ganhando corpo.   

“Por outro lado, ainda temos um grande número de desempregados e, quando há uma crise assim, há aumento no empreendedorismo. Mais pessoas buscam novas maneiras de obter renda e uma delas é essa. Outro aspecto é que a Jucea vem reduzindo burocracia, em um novo marco. A agilidade na abertura de novos negócios facilita muito, principalmente quando o empresário tem pressa de investir para ter o retorno do capital. E o fato de haver novas indústrias, assim como empresas de comércio e serviços é importante e deve aquecer nossa economia”, encerrou. 

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email