Exposição ‘Introspecção’ vem a Manaus para celebrar a vida

Introspecção é quando você pensa sobre si mesmo, sobre o que ocorre no seu íntimo, sobre suas experiências do passado, do presente e do futuro. O que não faltou foi tempo para as pessoas ficarem introspectivas durante o isolamento social. O mesmo aconteceu com o artista plástico Arnaldo Garcez, daí surgindo sua mais nova produção de quadros que acabou por gerar a exposição, não por acaso denominada ‘Introspecção’.

“As obras de arte surgem após um processo de inspiração o que, no meu caso, se acentuou ainda mais durante os dias em que convalesci de covid. Os quadros foram concebidos dentro do processo de isolamento, depois que me recuperei da doença”, contou.

“Devido ao comprometimento do meu pulmão, fiquei um tempo sem poder trabalhar e, à medida que o tempo passava, crescia em mim a vontade de voltar a pintar. Certo dia, me peguei tocando flauta. Foi quando percebi que havia ficado bom. Logo comecei a pintar os primeiros quadros”, disse.

Para completar o retorno de Arnaldo Garcez às artes, ele recebeu um convite para expor num shopping, em Uberlândia/MG, onde está pela primeira vez. O superintendente do shopping, em Minas, havia trabalhado no Manauara Shopping, em Manaus, onde Arnaldo já expusera. Foi quando o artista teve a ideia de fazer uma exposição itinerante. De Uberlândia para o Shopping Leblon, no Rio de Janeiro; Manauara Shopping, na capital amazonense; encerrando na Casa Thomas Edson, em Brasília.  

Em Uberlândia, ‘Introspecção’ começou no dia 20 de agosto e segue até 10 de setembro – Foto: Divulgação

“Em Uberlândia, ‘Introspecção’ começou no dia 20 de agosto e segue até dez de setembro, depois vai para o Rio de Janeiro e no dia 30 de setembro acontece a vernissage em Manaus”, adiantou.

Performance ao vivo

‘Introspecção’ é formada por 16 pinturas inéditas, produzidas com tinta acrílica sobre telas com tamanhos variados. A obra, segundo o artista, tem o ser humano como referência e foco principal e suas figuras são recheadas de mistério, estão permanentemente atentas, nunca sujeitas à passividade.

“Sempre questionando em busca de soluções plausíveis que possam acrescentar de maneira positiva uma melhor forma de relação de respeito mútuo entre os homens”, falou.

Como a inspiração de Arnaldo surgiu num momento de isolamento forçado e triste, as figuras estão dentro de um processo de interiorização. Essa busca por soluções para seus problemas existenciais, são conseguidos através da luz.

“Apesar do momento de tristeza pelo qual todo mundo passou, e ainda não foi embora totalmente, nenhum dos trabalhos reflete tristeza, ao contrário, as cores vivas mostram isso. As cores são um elemento fundamental na minha pintura, essa paleta de cores fortes, harmônicas, que se equalizam”, revelou.

“Apesar do momento de tristeza pelo qual todo mundo passou, nenhum dos trabalhos reflete tristeza” – Foto: Divulgação

Em todas as exposições que Arnaldo pretende realizar com ‘Introspecção’, ele irá realizar uma performance onde pinta um quadro ao vivo, diante do público espectador. Agora em Uberlândia, a obra surgiu em 32 minutos, numa tela de 1m x 2m5.

“O objetivo é acabar com esse distanciamento entre o público e o artista, mostrando como o artista age dentro de sua construção de trabalho. Apesar de o quadro ser pintado em poucos minutos, não se trata de um improviso. É uma obra pensada. Mesmo sendo urgente, mostra que o artista precisa ter conhecimento, técnica e domínio do que faz”, esclareceu.

Também na Itália

Comemorando o retorno à vida, com saúde plena e voltando às atividades normais, o artista plástico amazonense, um dos mais ativos fora do Estado, com exposições periódicas em Manaus, Rio, São Paulo, Brasília, Lisboa, Nova Iorque, Roma, Nápoles e Perúgia, retoma vários projetos na música e na literatura. Seu livro de poesias ‘Sombra das palavras’ será relançado com apoio da Lei Aldir Blanc, enquanto seis de seus quadros estão expostos em Perúgia, na Itália, desde 31 de julho, na ‘Stati D’Arte’, mostra internacional de arte contemporânea, que reúne poesia, dança, artes plásticas, música, inclusive com um grande festival de jazz.

“Trata-se de um salão que é organizado todo ano, na Casa do Artista, em Perúgia, no verão europeu. Ele é organizado pelo casal Francesco e Carla Médici ela, artista plástica. Ano passado expus lá e este ano, para surpresa minha, eles me convidaram para expor como artista convidado. Sou o único artista brasileiro lá”, comemorou.   

Nova Iorque também já está na agenda do amazonense. Ele espera apenas a situação da pandemia amenizar para seguir rumo à Big Apple.

“A introspecção serve para isso, para você se analisar e começar uma nova relação com a vida. Apesar de a pandemia continuar, e vivermos uma triste tensão política, com a economia não muito bem, para alguns, busco, com minha obra, uma normalização da sociedade”, finalizou.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email