3 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Evite gafes no almoço de negócios

Antes de tudo, o encontro é mais um compromisso da rotina profissional, então assim como no ambiente de trabalho, é preciso ter bom senso.

Para não pecar pela informalidade, separei algumas dicas para evitar constrangimentos à mesa.

1. Escolha o lugar certo

O restaurante a ser escolhido precisa ser adequado ao negócio que é feito entre o anfitrião e o convidado. Escolher o lugar certo mostra que o profissional entende do que o negócio se trata e que tem a percepção do que é melhor para a ocasião.

Lugares tranquilos e sem muito barulho também são mais indicados para ser possível conversar em volume normal e sem interrupções. Além disso, é preciso observar que o cliente convidado pode ter restrições alimentares e restaurantes que oferecem poucas alternativas no cardápio são mais arriscados.

2. Não se atrase

Atrasar-se para um almoço de negócios depõe contra o profissional, pois passa a impressão de que a pessoa não sabe se organizar e não tem o controle da situação. O anfitrião deve chegar antes do convidado, para checar se a mesa reservada já está disponível ou para prevenir-se em ter mesa à disposição quando o convidado chegar.

Respeitar horários é importante também porque o cliente pode ter reuniões marcadas após o almoço. O ideal é que o encontro não demore mais do que duas horas e que não seja preciso o convidado colocar o guardanapo na mesa para mostrar que precisa ir embora. 

3. Observe a hora certa de falar 

Quem guia a conversa é o cliente. Se ele o convidou para almoçar, é porque se interessa pelo seu trabalho. Espere, então, que demonstre isso. Talvez ele prefira iniciar a conversa profissional na hora do café, e não durante o prato principal.

Não adianta entrar no assunto principal do almoço com o cardápio na mão. No início do encontro, é mais apropriado conversar sobre amenidades.

O bate-papo inicial deve ser usado para buscar interesses comuns sem perder o foco nos negócios. Mesmo assim, é prudente evitar temas pessoais que possam gerar constrangimentos e polêmicas como política, religião e futebol.

Quando um tema delicado não pode ser evitado, retomar o assunto na hora da sobremesa ou café é a melhor forma de não ser maçante.

Abrir o notebook é uma ação permitida apenas quando há mais intimidade com o convidado, porém não é adequado, assim como atender ou checar o celular.

4. Evite excessos 

O profissional no almoço de negócios continua a representar a empresa onde ele trabalha, mesmo fora do escritório. Por isso, qualquer tipo de excesso não é bem-visto.

Pedir muita comida ou comida cara demais, mesmo quando é o anfitrião, é uma postura inadequada. Quem paga o almoço é a pessoa jurídica, então o comedimento mostra qual o tipo de relacionamento essa pessoa tem com a empresa onde trabalha.

Bebidas alcóolicas não são indicadas para o almoço de negócios. Se for inevitável, é melhor não se exceder.

5. Observe sua aparência

A dica principal é fugir do exibicionismo. Olhe-se no espelho e veja se você se sente confortável em estar com aquela pessoa numa reunião de negócios, representando sua empresa. Se tiver dúvidas sobre usar ou não determinada roupa, desista dela. Acessórios podem ser utilizados.

No caso das mulheres, uma maquiagem leve é sempre muito bem-vinda. Cabelos e unhas precisam estar limpos. Para os homens, cabelo e barba precisam estar alinhados. 

A ideia principal é observar qual imagem você pretende transmitir enquanto profissional. Quando você se olha no espelho, o conjunto de roupas, acessórios, cabelo e postura estão mostrando isso? Não há competência que não se beneficie de uma boa imagem.

6. Tenha cuidado na escolha do prato

Pratos que exigem mais atenção para serem manuseados do que a conversa com o convidado, devem ser evitados. Prefira sempre comidas leves, que não sejam demoradas ou que não precisem de malabarismo com talheres.

Se não sabe o que o nome no cardápio significa, prefira outra escolha mais confiável. Se você é um pouco desastrado, escolha algo que lhe traga menos riscos.


7. Quem paga a conta?

Quem convida geralmente paga a conta, mesmo que o anfitrião seja mulher. Ainda que o restaurante seja econômico, o ideal continua sendo pagar a conta do convidado. Isso também vale para os casos em que é preciso saída rápida da mesa ou combinação prévia com o garçom. 

Boa semana!

Fiquem com Deus!

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email