Etapas do Processo de Transporte Aéreo.

Olá, tudo bem? Desejo que sim. 

No nosso Papo de hoje vamos continuar falando sobre a Logística do transporte Aéreo. Vamos conhecer algumas de suas fases pré-embarque. 

Vamos lá!!!

Produtor ou Fabricante

Podemos afirmar que a participação do produtor ou fabricante no âmbito do comercio exterior não termina com o fechamento da venda,ela vai muito além como por exemplo a entrega do produto no prazo combinado e a manutenção das características do produto negociado.  Uma forma de colaborar com a preservação do produto (mercadoria) é que este esteja envolvido em uma embalagem adequada para o transporte, armazenamento e manuseio que não são poucos. 

Este assunto, é de vital importância, visto que uma embalagem com avaria, poderá, acarretar um grande atraso na entrega da mercadoria ocasionado por conferência e vistorias aduaneiras que antecedem o seu desembaraço. O assunto fica mais sério ainda quando a carga é de natureza Restrita/Produtos Perigosos, onde uma embalagem inapropriada pode causar danos materiais e humanos. Para este tipo de carga existe uma Legislação bastante específica emanada da IATA Internacional Aviation Transport Association e regulada pela ANAC  – Agência Nacional de Aviação Civil. 

-Transportador Rodoviário

Um outro fator bastante relevante neste processo e ainda antes mesmo da carga chegar ao aeroporto ou armazém do consolidador de cargas, é o transporte da carga em veículo rodoviário adequado, respeitando-se o tamanho, natureza e o tipo de unitização utilizado. É muito importante supervisionar e avaliar a qualidade do trabalho executado pelos funcionários da empresa prestadora de serviço contratada para esta finalidade. Lembramos aqui que boa parte das avarias acontecem durante o transporte rodoviário (aeroporto x indústria x aeroporto) onde o nível de prestação de serviço é muito ruim, pouco qualificado e quase nunca supervisionado. Uma boa dica é a contratação de profissional para fazer o acompanhamento, ou seja, um auditor prático do processo. Em Manaus muitas empresas utilizam o próprio condutor do veículo para fazer estas tarefas e inclusive para dar início ao desembaraço da carga. Esta visão é totalmente equivocada, pois, além de não estar qualificado está executando um serviço que não condiz com o seu cargo, processo trabalhista em vista!!!

-Transportador Aéreo.

 O transportador aéreo é o emitente ou consignatário do contrato de transporte, seja ele um contrato direto com o exportador (na origem), no caso de um AWB (Airway Bill)  ou um contrato com o agente de cargas, nesse caso Mawb (Master Airway Bill).ou ainda um contrato firmado entre o agente de carga e o exportador.

Conhecimento Aéreo (contrato).

 É um documento uniforme e padronizado internacionalmente, emitido pela empresa aérea consolidador, que, dentre várias indicações, constitui uma espécie de contrato no qual o transportador aéreo ou o consolidador reconhece o recebimento da mercadoria discriminada, a sua natureza, o peso e a quantidade, o tio de embalagem, etc.., e assume a obrigação de entrega-lo no lugar de destino especificado. A partir desse momento começam a correr obrigações e responsabilidades do transportador em relação ao importador, e deste em relação a todos aqueles que tenham legítimo interesse na mercadoria transportada, especialmente as áreas cambiais (Banco Central) e aduaneiro         ( Receita Federal). 

A unitização em ULD(s) Unity Load Device (contêiner, Skid ou pallet) para o transporte aéreo é de grande importância que se estende também a movimentação das cargas (embarque/desembarque). Cada ULD é um acessório de um determinado tipo de aeronave que está de acordo com a configuração interna do avião. No caso do pallet aeronáutico o empilhamento, a proteção contra intempéries, e a amarração deverá ser realizada com o acompanhamento de um técnico da própria Cia. Aérea.

As aeronaves de acordo com sua configuração, podem ser classificadas em:

Full Pax: destinada ao transporte de passageiros, porém, conta em seu lower deck, com um ou dois compartimentos (de acordo com a sua fabricação) que destinam-se ao transporte de bagagens ou bulk cargo, avulsa, não unitizada),

 All Cargo ou Full Cargo: com uso exclusivo para carga. De acordo com o modelo da aeronave , esta pode apresentar dois níveis de posicionamento de Unity Load Device – ULD , ou contêineres aeronáutico. É neste tipo de aeronave, dedicada ao transporte da carga que se é permitido o transporte de carga restrita ou perigosa.

 

Combi : aeronave de grande porte , apropriada para o transporte de passageiros e cargas. As unidades de carga utilizadas no transporte aéreo também são chamadas de equipamentos, podendo ser o pallet aeronáutico ou chassi, ou ainda o contêiner. Confeccionados em sua maioria em duralumínio, também podem ser encontrados em fibra de vidro, e raramente em outro material, como por exemplo madeira, muito comum nas lightvans ou equipamentos confeccionados sob medida para cargas especiais, em geral bagagem desacompanhada (mudanças). Permitem e possibilitam o transporte de diversos tipos de produtos, incluindo-se aí só equipamentos específicos para o transporte de animais vivos (bovinos e eqüinos em geral.

No próximo Papo Logístico, vamos falar sobre os órgãos anuentes e intervenientes neste processo. Não perca.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email