Estudo de línguas tem aumento de oferta

Caso a cidade de Manaus seja escolhida como uma das subsedes da Copa do Mundo de Futebol em 2014, uma série de investimentos estruturais e de pessoal deverão ser feitos pela governo. Uma das principais barreiras para a realização desse evento é a questão da língua, que começa a ser derrubada pela Amazonastur (Empresa Estadual de Turismo) com o lançamento de cursos de língua estrangeira para profissionais locais.
Inglês, espanhol, francês, japonês e mandarim (dialeto chinês) são as cinco línguas oferecidas pela Amazonastur nos cursos que irão iniciar a partir de 9 de setembro. De acordo com a presidente do órgão, Oreni Braga, a idéia é qualificar profissionais que atuem no setor turístico ou que estejam envolvidos em alguma atividade que mantenha relação com o turismo local, principalmente em eventos como a Copa do Mundo.
“Os profissionais de Manaus que trabalham com o turismo precisam estar capacitados para atender aos turistas que virão de várias partes do mundo e para isso precisam vencer a barreira da língua”. Entre os profissionais selecionados para participar dos cursos estão funcionários das secretarias estaduais de Esporte, de Saúde, da Polícia Militar e da própria Amazonastur, além de representantes do trade turístico, como o Sindicato dos Guias de Turismo, a ABIH (Associação Brasileira de Indústrias de Hotéis).
“Todos esses profissionais foram selecionados pelos órgãos em que atuam. Em um primeiro momento foram abertas 200 vagas entre homens e mulheres, e o objetivo é continuar proporcionando essa qualificação”, disse Oreni. As inscrições para essa primeira etapa já foram concluídas, e uma segunda etapa do projeto está prevista para começar em março do ano que vem, quando serão atendidas outras 200 pessoas.
Os cursos são uma parceria entre a Amazonastur e a Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), que disponibilizou os recursos necessários para a execução do projeto. As aulas serão ministradas pelo Cetam (Centro de Educação Tecnológica do Amazonas) e cada um durará cerca de quatro anos, com possibilidade de redução para até dois anos os cursos de espanhol, inglês e francês.
“Essa redução poderá ser feita por meio de processo de nivelamento, adiantando as pessoas que já possuem um determinado conhecimento na língua. Isso não será possível apenas em japonês e mandarim, onde 99% das pessoas que farão esses cursos nunca tiveram contato algum”, explicou a presidente. Ela disse ainda que o período máximo de aulas por semana é de quatro horas semanais divididas em dois dias.
Para a presidente, proporcionar esse tipo de qualificação é muito importante ao desenvolvimento do Estado, pois trata-se de educação e inclusão cultural de centenas de pessoas. “Ainda que Manaus não tenha o privilégio de ser uma das escolhidas para receber a Copa do Mundo, esse trabalho não será em vão, pois estaremos preparando os amazonenses para entrar nesse mercado tão importante”, afirmou.

Outras Soluções

Ainda pensando na Copa do Mundo, Oreni listou outras ações que ser efetivadas em Manaus em preparação para o evento internacional, como o investimento em city tours pela cidade, a construção de um novo centro de convenções, a melhoria e ampliação do setor hoteleiro da cidade e as obras de ampliação e modernização do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.
“A preparação do nosso aeroporto já iniciou com os estudos e a elaboração do projeto. No começo do ano que vem

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email